Queremos que a distonia focal (Síndrome do escrivão) seja reconhecida como deficiência!

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 15.000!


Meu nome é Cesar, tenho distonia há mais de 15 anos e já tentei todos os recursos para uma possível cura, mas fui vencido. 

A distonia (no meu caso, focal), conhecida popularmente como "cãibra do escrivão", causa torções das mãos e braços, dores cervicais e impede você de escrever e digitar. 

Existe um tratamento paliativo com aplicação de botox por um neurologista, mas os hospitais públicos autorizados para realizar a aplicação tem lista de espera de 6 MESES no mínimo.

Para piorar, a doença não é reconhecida pelo INSS. Já tentei de tudo, mas foi em vão.

Existe uma lei que estava sendo pautada no Senado Federal, o PLS nº 439/2008 de autoria do Senador Arthur Virgílio, que estabelece a síndrome do escrivão como modalidade de deficiência física. Porém, o projeto foi rejeitado. Isto é um absurdo! As autoridades precisam voltar atrás com essa decisão, pelo bem de todas as pessoas com essa doença. 

Me ajudem a fazer a lei valer! Entre no grupo de Facebook da Cãibra do Escrivão e assim vocês verão que tem pessoas até muito mais graves do que eu.

POR FAVOR, ASSINEM PARA QUEM JÁ NEM PODE MAIS ASSINAR!

Agradeço em nome de todos os distônicos!



Hoje: Cesar está contando com você!

Cesar CLARETT VENDRASCO precisa do seu apoio na petição «Senado, queremos que a distonia focal (Síndrome do escrivão) seja reconhecida como deficiência física!». Junte-se agora a Cesar e mais 10.926 apoiadores.