Segurança e atenção aos alunos, familiares e funcionários da EMESP Tom Jobim

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 2.500!


Aos Excelentíssimos Secretários de Cultura e de Segurança do Estado de São Paulo.

Nós, pais e alunos da Emesp, Escola de Música do Estado de São Paulo, manifestamos nossa preocupação e solicitamos atenção da Secretaria de Cultura e de Segurança com relação à segurança nos arredores de nossa escola.

A EMESP é um centro de excelência no ensino de música, onde são atendidos cerca de 1300 alunos, dos quais mais de 400 são menores de idade. O trabalho desenvolvido na instituição promove inserção social, formação profissional musical e mostra o comprometimento e seriedade de oportunidades oferecidas pelo Estado em parceria com a Santa Marcelina.

Nossa escola fica em uma região de risco conhecido e o policiamento, que estava mais frequente no início do ano, praticamente deixou de existir. Na última semana dois alunos foram abordados por grupos, tiveram seus instrumentos roubados e sua integridade ameaçadas.

Para que os alunos, funcionários, familiares e professores não corram ainda mais riscos e a escola possa dar continuidade aos seus trabalhos, solicitamos que as seguintes medidas sejam tomadas com urgência:

- restauração do policiamento com viaturas, principalmente nos horários de entrada e saída dos alunos, nos percursos das estações Luz do Metrô e Júlio Prestes da CPTM até a escola;

- solicitação de esclarecimentos junto à Prefeitura de São Paulo com relação as chapas metálicas instaladas no estacionamento da Guarda Civil Metropolitana, onde antes funcionava o Projeto Redenção. As chapas estão ocupando parte da calçada, estreitam o local de passagem e tornam mais fácil a ação de grupos que abordam os passantes, além de obstruírem a visão do posto da guarda civil;

- melhoria e revitalização do projeto instalado na praça do Largo General Osório que encontra-se sem muitos cuidados e onde se aglomeram os grupos que abordam os alunos; 

- discussão das secretarias e com a comunidade escolar de um plano de segurança para a nova sede da escola. O novo prédio deve ser entregue no próximo ano e ficará em um local ainda mais vulnerável, pedimos que seja considerada viabilização de um transporte circular até as estações e uma base policial fixa no trajeto.

Nossas demandas são uma reação a fatos reais que ocorreram em nossa comunidade escolar, estando certos de que compreendem a importância da escola e da gravidade do que vem ocorrendo.

Esperando uma resposta imediata de ambos os Secretários, da Cultura e da Segurança, às nossas solicitações, subscrevemos.