Manifesto Contra ação da EMESP em favor de Jessica Cavalcante

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 5.000!


A música no Brasil é utilizada como uma arte de exclusão, EMESP ( Escola de Música do Estado de São Paulo) considerada uma das melhores escolas do país é uma instituição que exclui e elitiza a arte musical, hoje eu fui totalmente lesada ao ser desligada da escola na disciplina de instrumento clarinete na qual o professor relata a minha evolução mas não para o novo padrão no qual ele e outro professor estipularam para o curso onde o mesmo descreve como "alto nível e que tem como objetivo preparar o aluno para assumir um cargo de orquestra" e mais "que nós alunos temos que perceber que não é só cargo de orquestra que existe que podemos trabalhar com educação musical", onde se entende que eu mulher, 26 anos, mãe e esposa que começou a tocar clarinete velha aos 17 anos em um projeto social não me encaixo nesse padrão e que o meu lugar não é em uma orquestra já que eu não tive o direito de decidir ou de tentar ser ou não músico de orquestra ou de tentar alcaçar o novo "padrão" onde a reprova já impõe o meu lugar na profissão que é fora de orquestra, mas claro isso segundo ele irá me ajudar, que eu vou perceber que isso foi bom pra mim, eu vou evoluir que a exclusão irá fazer eu perceber que tenho que estudar mais além dos anos que passei estudando de segunda à segunda sem final de semana, feriado ou férias, e até estudando dia e noite e madrugada sem dormir que fez eu desenvolver problemas de saúde, eu tenho que me cobrar mais rumo a meritocracia (1.predomínio numa sociedade, organização, grupo, ocupação etc. daqueles que têm mais méritos os mais trabalhadores, mais dedicados, mais bem dotados intelectualmente etc.).
... Esse é o cenário musical atual que acredita nesse sistema falido de gerar um produto final de que ou você é virtuose ou você é ruim e ainda usar isso para qualificar um processo artístico esse sistema desacredita no processo de evolução do pensamento humano, manifestação artística, evolução do que é o processo artístico , agora eu questiono: como eu vou evoluir se a instituição de ensino que ele representa me excluiu? como posso evoluir se não tenho onde estudar? Nós artistas e músicos temos que pensar e agir sobre a atual conjectura política e social do país sobre qual é o papel da música e das outras artes nesse cenário, o atual papel desempenhado pela música tem real importância na sociedade em que vivemos? Como a música atravessa a sociedade? De uma coisa eu tenho certeza esse sistema atual não funciona o público escasso das salas de concerto que o diga a própria alto sociedade burguesa não frequenta mais assiduamente, então pra quem você toca? Se você não faz arte para outra pessoa então o que você faz não é arte é outro coisa... 
Eu Jéssica Cavalcante torno público está carta, na qual manifesta a minha posição contra o atual sistema de ensino de música no Brasil, eu acredito que o objetivo da arte música deve ser além do que quantificar ou qualificar alguém.

Segundo o manual do aluno da EMESP o são direitos do aluno:

I. ser respeitado em sua individualidade;
II. receber os conhecimentos que constituem as
finalidades e objetivos de seu curso, nos termos
deste Manual do Aluno;
III. ter assegurados todos os direitos como pessoa
humana;
IV. ser considerado e valorizado na sua
individualidade sem comparações ou preferências;
V. ser orientado em suas dificuldades;
VI. usufruir de ambiente que possibilite o
aprendizado;
VII. poder desenvolver sua criatividade;
VIII. poder ser ouvido em suas queixas ou
reclamações;
IX. ser atendido em suas dificuldades de aprendizado



Hoje: Anderson OTO está contando com você!

Anderson OTO Marques precisa do seu apoio na petição «Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo: Manifesto Contra ação da EMESP em favor de Jessica Cavalcante». Junte-se agora a Anderson OTO e mais 2.664 apoiadores.