Redução de mensalidade devido a suspensão de aula presencial por conta do COVID-19

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 1.500!


Por conta da atual pandemia do COVID-19 (coronavírus) e a quarentena assim instalada, visando a prevenção da disseminação do mesmo, foi tomado como medida protetiva a suspensão das aulas e funcionamento de instituições de ensino, conforme decreto Nº 40.520, de 14 de março de 2020.

Visto que desde a publicação do decreto supracitado não está sendo lecionado nenhum tipo de matéria e nem disponibilizado nenhum material, referente as aulas presenciais que deveriam estar acontecendo, não vemos a coerência em se cobrar o mesmo valor de mensalidade para este período. Além de que, com a ausência dos alunos e possivelmente também ausência total ou parcial do quadro de funcionários, há uma redução nos gastos com energia, água, entre outros.

O ensino EAD feito como substituição da aula presencial neste atual cenário em que nos encontramos, não pode ser obrigatório, visto que alguns destes alunos não possuem acesso continuo e facilitado a internet. Devido a impossibilidade de certos alunos em exercerem seus trabalhos, outra dificuldade encontrada é a falta de renda para arcar com uma mensalidade referente a um curso presencial.

Sendo assim, pedimos que seja revisto o valor a ser cobrado referente aos dias em que nos encontramos impossibilitados de frequentar a instituição. E que, se caso forem disponibilizados aulas somente de forma online, seja corrigido o valor referente ao curso EAD, e não cobrado o valor integral do curso presencial. Pedimos também que seja analisada a possibilidade de suspensão do semestre, sem custos adicionais, para aqueles que não poderão arcar com os valores por terem perdido suas fontes de renda.

Pedimos para que os responsáveis entrem em contato com os representantes de cada curso, para que seja negociado uma solução boa para ambas as partes.