Petitioning Tribunal de Justiça de São Paulo

Queremos Delegacias de Proteção aos Animais e Justiça no Caso Dalva


Em janeiro de 2012, após denúncias, a Polícia de São Paulo desmascarou a matadora de animais da Vila Mariana. Dalva Lima de Souza fingia ser protetora e confessou que há anos matava os animais, que deveriam ir para a adoção, com uma dolorosa injeção no coração. Além de matar com crueldade, ela retirava todo o sangue dos corpos deles. Estima-se que em 10 anos ela tenha matado cerca de 30 mil animais. 

Depois de dois anos que o caso veio à público, finalmente Dalva Lina da Silva, a serial killer que matou milhares de cães e gatos, está sendo julgada. Dalva ficou foragida durante meses depois do flagrante. Graças a cobertura da ANDA e a este abaixo-assinado, a equipe do Domingo Espetacular da TV Record conseguiu encontrá-la  no Paraná. As testemunhas foram ouvidas na semana passada e agora estamos esperando a divulgação da sentença. Ela responde por crime contra a fauna com o agravante de morte. 

Peço que continuem divulgando o abaixo-assinado para que ela não saia impune. Já conseguimos a criação de delegacias especializadas em animais , que é um instrumento extremamente importante para acelerar as investigações e os processos de crimes contra animais. Vamos pedir a punição de Dalva Lima de Silva pelos seus crimes.
Letter to
Tribunal de Justiça de São Paulo
Pedimos a criação imediata de uma Delegacia de Proteção aos Animais na cidade de São Paulo e punição da Dalva Lima da Silva pelos seus crimes contra animais.

Há exatamente um ano foi detida em flagrante Dalva Lima da Silva, ao descartar os corpos de 37 cães e gatos que ela havia matado. Apesar de ter confessado que há anos fingia ser protetora de animais para matar, Dalva continua impune e sem data prevista para julgamento.

Apenas com a criação de Delegacias de Proteção aos Animais, casos como este, com réu confesso, seriam rapidamente julgados. A criação de delegacias especializadas em animais é um instrumento extremamente importante para acelerar as investigações e os processos de crimes contra animais, levando à justiça pessoas perigosas e violentas como no Caso Dalva.