Promulgação Solene do 5º Dogma Mariano

Promulgação Solene do 5º Dogma Mariano

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 100!
Com 100 assinaturas, é mais provável que essa petição seja recomendada a outras pessoas!
Deyvianne Pinheiro criou este abaixo-assinado para pressionar qship@rain.org

Todos temos o privilégio de viver durante o clímax da universalmente designada "Era de Maria". Centros marianos internacionais como Lourdes, Fátima e locais de aparição contemporânea, bem como inúmeros outros movimentos marianos contemporâneos, manifestam o clímax atual de amor e devoção à Mãe de Jesus em todo o mundo.

Mas, juntamente com um clímax em devoção a Nossa Senhora, esta Era de Maria também está pedindo um clímax na doutrina sobre Maria. Pois o autêntico amor de Maria deve ser firmemente baseado na verdade autêntica sobre Maria.

Até o presente momento na história da igreja, quatro doutrinas marianas foram definidas pela Igreja como verdades católicas centrais: a maternidade de Deus, a imaculada concepção, a eterna virgindade de Maria e sua gloriosa assunção ao céu. Agora é hora da igreja, no cume desta era mariana, proclamar e definir a quinta e última doutrina mariana, ou seja, a mediação universal de Maria como Co-Redentora, Medianeira de toda a graça e Advogada do povo de Deus.

Quando a Igreja invoca Maria sob o título "Coredemptrix", ela quer dizer que Maria participou exclusivamente da redenção da família humana por Jesus Cristo, Nosso Senhor e Salvador. Na Anunciação (cf. Lc.1: 38), Maria cooperou livremente em dar à Segunda Pessoa da Trindade seu corpo humano, que é o próprio instrumento da redenção, como a Escritura nos diz: "Fomos santificados pela oferta do corpo. de Jesus Cristo de uma vez por todas "(Heb.10: 10).

E ao pé da cruz de nosso Salvador (Jo.19: 26), os intensos sofrimentos de Maria, unidos aos de seu Filho, como nos diz o Papa João Paulo II, foram "também uma contribuição para a redenção de todos nós". (Salvifici Doloris, n.25). Por causa dessa participação íntima na redenção realizada pelo Senhor, a Mãe do Redentor é única e justamente referida pelo Papa João Paulo II e pela Igreja como a "Coredemptrix".

É importante observar que o prefixo "co" no título Co-redentora não significa "igual a", mas "com", vindo da palavra latina cum. O título mariano Co-redentora nunca coloca Maria em um nível de igualdade com seu Divino Filho, Jesus Cristo. Pelo contrário, refere-se à participação humana única de Maria, que é completamente secundária e subordinada ao papel redentor de Jesus, que sozinho é o verdadeiro Deus e o verdadeiro homem.

Em segundo lugar, Maria é invocada na Igreja sob o título Mediadora de toda a graça. Todas as graças que decorrem da redenção de Jesus Cristo são concedidas à família humana através da intercessão maternal de Maria. Maria mediou Jesus Cristo, o autor de todas as graças, para o mundo quando ela concordou em ser a mãe humana de Deus feita homem (cf. Lc 1, 38). E da cruz no Calvário (Jo 19:26) e como presente final para a humanidade, Jesus dá Maria como mãe espiritual para todos nós: "Filho, eis a tua mãe" (cf. Jo 19:26). Por essa razão, o Vaticano II se refere a Maria como "mãe para nós na ordem da graça" (Lumen Gentium, 62) e vários papas do século XX ensinaram oficialmente a doutrina de Maria como mediadora de todas as graças, citando as palavras de São Bernardo: "É a vontade de Deus que obtemos todos os favores através de Maria". A Mediadora realiza essa tarefa em íntima união com o Espírito Santo, o Santificador, com quem iniciou o drama da Redenção de nosso Senhor na Anunciação (cf. Lc 1:35).

Em terceiro lugar, Maria é a nossa advogada para o povo de Deus, na medida em que aceita as petições de seus filhos terrenos, especialmente em tempos de dificuldades, e as traz através de sua intercessão materna diante de seu Filho e de nosso Senhor Jesus.

No Antigo Testamento, a Rainha-Mãe levou as necessidades do povo de Israel ao trono de seu filho, o rei (cf. 1 Reis 2:19). Agora, Maria é a nova rainha mãe e advogada no novo reino de seu filho, que leva as necessidades solicitadas pelo povo de Deus ao trono de seu glorioso filho, Cristo Rei, particularmente em nossos tempos difíceis.

A mediação universal da Mãe de Jesus como Co-redentora, Medianeira de todas as graças e Advogada para o povo de Deus já está contida nos ensinamentos oficiais e oficiais do Magistério da Igreja. Agora, no cume da era mariana, o que resta é a proclamação final da Igreja dessa doutrina mariana final, como dogma cristão revelado por Deus.

O Dr. Mark Miravalle, Professor Associado de Teologia e Mariologia da Universidade Franciscana de Steubenville, escreveu o livro Mary: Coredemptrix, Mediatrix, Advocate. Este trabalho expõe teologicamente esses papéis de Maria nas Escrituras, na Tradição Apostólica e nos ensinamentos do Magistério da Igreja, e pede humildemente que o Santo Padre, Papa João Paulo II, proclame e defina a mediação universal de Maria como Co-redentora, Medianeira e Advogada como "dogma cristão revelado por Deus, em veneração legítima da Mãe de Jesus, e para o bem da única, santa, católica e apostólica Igreja de Cristo".

O cardeal Luigi Ciappi, OP, que serviu como teólogo papal de todo papa de Pio XII a João Paulo II, escreveu o prefácio em forte endosso a este trabalho, e ele próprio afirma, citando o apelo à definição papal de Maria, Co=Redentora, Medianeira, e Advogada, "eu compartilho a esperança do Dr. Mark Miravalle".

Vox Populi Mariae Mediatrici  é uma organização internacional leiga que busca trabalhar para a definição papal de Nossa Senhora como Co-Redentora, Medianeira e Advogada, reunindo petições dos fiéis em todo o mundo em humilde apoio a nossos fiéis. Santo Padre por este dogma mariano final.

A Vox Populi está distribuindo o trabalho do professor Miravalle em todo o mundo em nove idiomas e já recebeu 2,5 milhões de petições de mais de 132 países do mundo. Vox Populi também recebeu a aprovação de 36 cardeais e mais de 130 bispos em todo o mundo da Igreja Universal. Os dois papas anteriores que definiram Dogma Mariano, Pio IX e Pio XII, referiram-se às petições internacionais dos fiéis como um dos critérios que levaram aos atos finais da definição papal dos dogmas marianos da Imaculada Conceição e da Assunção.

Se você gostaria de contribuir, e colocar esta coroa dogmática final na cabeça de nossa Mãe e Rainha Imaculada durante o clímax da Era de Maria, preencha a petição que será encaminhada pela Vox Populi Mariae Mediatrici ao Papa Francisco.

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 100!
Com 100 assinaturas, é mais provável que essa petição seja recomendada a outras pessoas!