Petition Closed
Petitioning Primeira-Ministra Sheikh Hasina

Apoie as Mulheres da Grameen Bank para proteger seus direitos

O Banco Grameen éum líder de longa data, não apenas por seus esforços no campo de microfinanças e na redução da pobreza, mas também por seu trabalho na capacitação de mulheres rurais e pobres do Bangladesh. Seu modelo de empréstimos a baixo custo é imitado em insituições no mundo inteiro. Além disso, as mulheres constituem 97 por cento dos mutuários do Banco Grameen, possuem mais de 95 por cento do capital no banco, e são representadas em 9 dos 13 assentos no Conselho de Administração. Estas mulheres proprietárias compartilharam o Prêmio Nobel da Paz dado ao Banco Grameen e ao seu fundador, Muhammad Yunus, em 2006.

Hoje, a independência do Banco Grameen e a propriedade das ações de suas clientes mulheres estão sendo ameaçadas pela Primeira Ministra Sheikh Hasina do Bangladesh. Ao longo dos últimos anos, a Primeira Ministra Hasina tem liderado os esforços de seu governo para forçar o Professor Yunus para fora de sua posição como diretor-gerente do Banco. O governo já nomeou uma comissão para investigar as operações do Banco Grameen e fazer recomendações quanto à sua futura liderança. Esta comissão é amplamente vista como uma forma de o governo assumir o controle do banco no lugar de suas proprietárias mutuárias mulheres. Portanto, qualquer interferência adicional por parte do governo na autoridade do Conselho de Administração do banco será um enorme retrocesso para os direitos humanos e legais dessas mulheres. Se o governo assumir o controle do banco, se mostrará uma ameaça a autonomia de todas as instituições civis no Bangladesh.

Com menos de dois meses até que a comissão nomeada pelo governo do Bangladesh faça suas recomendações para o futuro do Banco Grameen, é essencial que usemos todas as ferramentas à nossa disposição para incentivar a Primeira Ministra Hasina a proteger a independência do Banco e de seus mutuários. Assine a petição e faça ouvir a sua voz.

Letter to
Primeira-Ministra Sheikh Hasina
Reconhecemos o trabalho que tem feito para apoiar os direitos e incentivar o empoderamento das mulheres no Bangladesh e no mundo inteiro. Sabemos que o governo do Bangladesh está planejando uma revisão da estrutura de propriedade do Banco Grameen. Suas clientes mulheres possuem atualmente mais de 95% do banco. Essas mulheres, que compartilharam o Prêmio Nobel da Paz em 2006, têm sido uma inspiração para milhões de pessoas em todo o mundo. Quaisquer mudanças que enfraqueçam a autonomia do Banco Grameen e reduzam o controle dos seus mutuários sobre o Conselho de Administração e a participação acionária do banco não somente serão um retrocesso trágico para o empoderamento das mulheres no Bangladesh, como também serão vistas globalmente como uma violação inaceitável dos direitos das mulheres. Pedimos-lhe para proteger as mulheres do Banco Grameen e a independência da instituição que elas ajudaram a construir com o seu apoio inicial.
-------------
Atenciosamente,
[Seu nome]