SOLUÇÃO POSSÍVEL PARA A CRISE BRASILEIRA

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 100!


EXISTE SOLUÇÃO PARA A CRISE VIVIDA NO BRASÍL?

Há alguns dias me perguntaram qual seria a solução para a crise vivida no Brasil, que aflige empregados e empregadores em todos os rincões do País, que levou ao desemprego milhões de brasileiros e à falência milhares de empresas?

Eu respondi que sim, e que a solução é simples de ser implementada! Riram da minha objetividade. Aproveitei a oportunidade para explicar.

A razão é simples, eu não vejo a situação difícil como um problema, mas, como fato. Quando eu tenho um fato eu busco a solução. Quando eu tenho um problema, a tendência é fugir dele.

Veja um exemplo: há séculos a humanidade sofre com a dificuldade para respirar, eu mesmo roncava muito, sofria com a apneia, me pus a pensar, e criei os DILATADORES NASAIS mais eficientes que existe no mercado, porque, penso com objetividade. Você pode vê-los em: www.parederoncar.com.br

Eu não sou médico, sou economista, mas, precisava criar uma solução na área média, e a criei. Se você experimentar os DILATADORES NASAIS que eu estou lhe apresentando, compreenderá melhor as medidas de solução que eu apresento para o nosso País, para todos nós.

Acho que você merece saber que existe uma solução inteligente, barata, que pode levar o Brasil aos trilhos da normalidade, rapidamente, e trazer de volta o emprego sonhado por mais de 15.000.000 de brasileiros, excluindo-se aqueles que estão no subemprego, porque, se acrescentarmos esses, o número é muito maior, é muito mais assustador.

A solução que eu apresento acaba com o sofrimento de milhões de brasileiros rapidamente, poupando-lhes a necessária energia para regularizar suas vidas rapidamente, acabando com o inferno no qual estamos vivendo;

Vamos ao desenho da solução. Se você concordar com ela, divulgue-a, para que o governo possa estuda-la e aplicá-la com urgência.

1º passo: fazer o levantamento total do rombo sofrido pelos cofres públicos, pelos bancos estatais, BNDES, Petrobrás, etc., retroativo ao prazo prescricional, certamente, alguns trilhões de reais formarão esse número;

2º passo: decretar que: todo o dinheiro em moeda estrangeira em nome de brasileiros no exterior, seja repatriado, para ser trocada por Reais e depositados em bancos no País;

3º passo: emitir uma nova série da moeda nacional, o Real, para ser trocada pelo Real antigo em circulação, e, simultaneamente, decretar que a troca seja obrigatória no prazo de 30 (trinta) dias, decretando a perda de valor do dinheiro antigo, imediatamente, após o prazo para essa troca. Note que eu não estou falando em mudar a moeda. O Real continua o mesmo, só será emitido notas novas para circular no lugar das já existentes;

4º passo: com montante do rombo apurado e definido claramente, alguns trilhões de reais, certamente, serão trazidos aos cofres públicos para serem recolocados onde eles estão faltando, cofres públicos da união, estados, municípios, empresas públicas fraudadas, entidades legais, Forças Armadas, Polícias Estaduais, Polícia Federal, Hospitais, etc. O dinheiro virá da moeda internacional repatriada e da emissão por parte do BC, para cobrir todo o dinheiro roubado, nos últimos dez anos, por exemplo, que não serão trocados, porque, os seus “donos” não podem apresentar esses recursos, porque, foram roubados, desviados dos cofres públicos;

5º passo: com a sobra de recursos pagar a dívida interna totalmente ou parcialmente com a nova série de Reais emitidos, e, ao final, ajustar toda a moeda em circulação, às novas necessidades e realidades da economia;

6º passo: considerando que haverá muito dinheiro em circulação, eventualmente, instituir o depósito compulsória para a regulagem do meio circulante à necessidade da nova atividade econômica que, certamente, será aquecida rapidamente;

7º passo: com a decretação da perda de valor do dinheiro que não será trocado no prazo de 30 (trinta) dias pela nova série de Real, o saldo estimado, será utilizado para capitalizar os bancos públicos, para fomentar o financiamento do desenvolvimento sustentável, a uma taxa de juros compatível com a realidade da produção, recompondo o caixa dos governos: federal, estaduais e municipais, com a nova série de Reais, com o dinheiro que se perdeu debaixo de colchões, tapetes, e nos porões da corrupção, porque, ele perdeu o valor. Mas, é um dinheiro que tecnicamente existe, e, portanto, a partir de sua perda de valor para os seus antigos “donos”, ladrões do dinheiro público, o saldo pertencerá aos estados, aos municípios e à União, e, consequentemente, ao povo brasileiro;

8º passo: decretar novas e claras regras de financiamentos para as pessoas físicas e jurídicos de direito privado, e, ao mesmo tempo, o ajuste das contas dos entes públicos, com os novos saldos em Reais. Veja, o dinheiro existe, ele foi subtraído dos cofres públicos. Essa crise foi fabricada para garantir a perpetuidade de um grupo no poder, contra tudo e contra todos os nossos interesses;

9º passo: decretar a proibição do endividamento dos entes públicos pelo prazo de 10 (dez) anos;

10º passo: decretar que, de agora em diante, a corrupção será considerada crime hediondo;

11º passo: fazer a reforma política com urnas com o voto impresso para 2018, e ainda decretar a proibição de financiamento público para políticos e partidos, permitindo o financiamento limitado pelos simpatizantes, e o próprio interessado em se eleger. O cidadão que quer fazer carreira política não pode ser financiado obrigatoriamente com o dinheiro público;

12º passo: decretar a extinção de todos os partidos envolvidos na corrupção e criar a candidatura independente de partidos, para, a partir da eleição do novo congresso, providenciar o surgimento de novos partidos, com regras claras, que atendam às necessidades política da nova Nação que surgirá com essas medidas que proponho neste momento;

13º passo: decretar a investigação nacional, fortalecendo a Polícia Federal, o Ministério Público e toda a operação Lava Jato, para apurar todo o enriquecimento suspeito, principalmente, de políticos com ou sem mandatos e seus parentes diretos e indiretos, laranjas, etc.;

14º passo: revogar o Estatuto do Desarmamento e determinar o armamento da população de bem, aos moldes da Suíça e Estados Unidos, permitindo o uso de arma de fogo inclusive na cintura, para todos os cidadãos de bem, em quaisquer lugares, desde que, aparente;

15º passo: tudo isso é possível, porque, ao decretar a perda de valor do dinheiro que não será trocado pela nova série de Real emitida, no prazo de 30 (trinta) dias, esse dinheiro perderá o valor para quem o detinha, os ladrões do dinheiro público, que os tenha escondido sob todos os pontos de vista. Mas, o montante que existe, escondido, passará a pertencer à União, aos Estados e aos Municípios, em proporções definas por regras previamente estudadas, para restituir ao povo brasileiro, tudo que lhes foi tirado, pela Organização Criminosa que destruiu as finanças públicas, propositalmente;

16º passo: com essas medidas não violentas, mas, inteligentes, possíveis, estarão restabelecidas as bases legais, necessárias para o crescimento da economia, com a dívida pública quitada, ou minimizada. Assim, o País deixará de pagar bilhões em juros, todos os anos, realidade que possibilitará o surgimento de uma nova sociedade, mais organizada, mais feliz e mais séria, porque, os benefícios serão imediatos, principalmente, com o surgimento de milhões de empregos. Note que, nesta proposta de solução, ninguém que tem dinheiro honesto, será prejudicado. Ou seja, todos os rentistas cujo dinheiro é declarado, é seu, não foi roubado dos cofres públicos, estarão absolutamente protegidos;

17º passo: tudo isso é possível, porque, de fato, não falta dinheiro, o que acontece hoje, é que o dinheiro está desorganizado do ponto de vista das necessidades da economia, porque, a crise construída pela roubalheira é real, e modificou o fluxo de caixa das pessoas, das empresas, dos estados, dos municípios e da União. Tudo isso será reorganizado com essas medidas simples, objetivas, e perfeitamente possíveis do ponto de vista técnico, porque, não estará emitindo dinheiro novo, à revelia da realidade econômica;

18º passo: essas medidas precisam ser decretadas pelo Presidente Michel Temer, com o apoio das Forças Armadas, negociando todo o trâmite, para garanti-las, porque, o Congresso atual não pode aprova-las, pois, ilegítimo, e composto por maioria de bandidos;

19º passo: reorganizar desde já, de modo claro, as bases para as eleições de 2018, com fundamento na necessária reforma eleitoral, que deverá ser discutida e aprovada por deputados e senadores que não estejam envolvidos nos escândalos de corrupção;

Em linhas gerais é isso o que se pode fazer para recolocar o País nos trilhos, rapidamente, e sem violência. Caso contrário, a violência será tanto maior, quanto maior for o tempo para recolocar o País nos trilhos. Você precisa ter claro que, a sua vida está passando enquanto a crise persistir. Mas, os ladrões do dinheiro público, ainda não alcançados pela Lava Jato, estão usufruindo do dinheiro roubado, esbanjando em suas mansões de luxo, enquanto nós estamos no palco da vida real;

Com essas medidas, quem não roubou, como é o caso da maioria dos brasileiros, desempregados, que estão sofrendo, não pagarão a conta da roubalheira, mas, efetivamente quem roubou é quem pagará efetivamente essa conta, porque, não poderão mais fazer circular o dinheiro escondido, eis que, ele perderá o valor por decreto, sendo substituído pela nova série de Real que será posta em circulação, renovando a economia;

Se você concordar com essas medidas, por favor, compartilhe. Mas, antes, você poderá também, contribuir para melhorar a nossa ideia...

Felicidades, sucesso, paz, alegria no coração, todos nós merecemos viver assim.

Eustáquio Costa - Economista



Hoje: JOSÉ EUSTÁQUIO está contando com você!

JOSÉ EUSTÁQUIO COSTA precisa do seu apoio na petição «Presidente Michel Temer: SOLUÇÃO POSSÍVEL PARA A CRISE BRASILEIRA». Junte-se agora a JOSÉ EUSTÁQUIO e mais 12 apoiadores.