REABERTURA GRADUAL DO TURISMO EM TIRADENTES

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 2.500!


A cidade de Tiradentes concentra 90% da sua economia no turismo, que é responsável pelo sustento de centenas de famílias que já se encontram em grandes dificuldades. Não são apenas empresários que querem a reabertura, mas também autônomos como guias de turismo, charreteiros, taxistas, artesãos e milhares de funcionários que já estão vendo o fantasma do desemprego ameaçando o sustento de suas famílias. A abertura não tem como objetivo trazer a morte para a cidade, mas sim, com toda responsabilidade exigida e necessária, manter viva a capacidade de produção e de levar o sustento para a mesa de inúmeras famílias. Além disto, com a drástica arrecadação de impostos, o funcionalismo público será diretamente afetado, e em breve a prefeitura não conseguirá arcar com a folha de pagamentos e com as grandes despesas recorrentes do município.

É necessário que todos entendam que o isolamento não tem capacidade de eliminar o vírus, afinal ele permanecerá em nosso meio por muitos anos. O fechamento da cidade que completará 90 dias, foi feito com o intuito de preparar nosso sistema de saúde que estava com grande déficit. Hoje, nossa macrorregião já está capacitada com os leitos de UTIs exigidos e as medidas de segurança serão rigorosamente implementadas na cidade através das normas de controle, conscientização e retenção para que a curva de possíveis contágios sejam retardados ao máximo. Além disso, todos os empresários e funcionários já estão sendo capacitados pela prefeitura através do workshop Retomada, que prevê a implementação de todas as normas e regulamentações necessárias para a abertura gradual, consciente e segura da cidade. Além disso, uma reabertura no dia 19 de junho não significa que a cidade voltará a receber um grande fluxo de turistas. Será um retorno muito lento e gradual mas que possibilitará que a economia da cidade se mantenha ativa. 

Existe uma tendenciosa narrativa construída e potencializada por meses e meses de doses midiáticas de medo para criar um ambiente caótico e polarizado, de uma especie de luta do bem contra o mal, como se os empresários desejassem disseminar a morte na cidade para saciar seu ávido espírito de ganância. NÃO! Todos os empresários trabalharão dia a dia com muita responsabilidade e estarão na linha de frente, junto com seus funcionários para ajudar a manter viva a nossa economia e nossa capacidade de dignamente lutar pelo pão de cada dia, conquistado com o suor do nosso rosto e não por uma apática e subserviente ação assistencialista. Saúde e economia são vitais e estas ações devem caminhar juntas.