Volta às aulas presenciais somente com segurança sanitária!

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 1.500!


Depois de seis meses sem organização e sem orientações para as escolas, o prefeito municipal Nelson Marchezan Júnior e o secretário da educação Adriano Naves de Brito anunciaram um calendário de retorno de volta às aulas presenciais em um prazo insuficiente de tempo para as escolas da Rede Municipal de Educação (RME) se programarem. Além disso, desconsideraram o alto índice de contagio da Covid-19 atual, referenciado pela elevada taxa de ocupação de UTI’s na cidade, e a possibilidade de ampliação por conta do retorno presencial, colocando em risco a vida das comunidades escolares.

A situação da pandemia é inédita e temos que entre todas e todos buscar as melhores soluções. Isso só será possível com o diálogo com as comunidades e todas as pessoas envolvidas no retorno às aulas presenciais.

Além disso, a determinação de retorno às aulas desrespeita o Decreto n.º 55456 de 5 de setembro de 2020 do governo do estado, que define a necessidade de ter planos de contingência para a crise e COEs municipal e locais.

Diante disso, os abaixo-assinados, mães, pais, estudantes, professores(as) e trabalhadores (as) em educação resolvemos:

  1. Nos colocarmos a favor do retorno às aulas presenciais desde que todas as questões de segurança sanitária e saúde pública sejam atendidas e garantam a vida de crianças, jovens, seus familiares e profissionais envolvidos com o funcionamento das escolas;
  2. Nos colocarmos contrários ao calendário proposto pela Prefeitura e a Secretaria de Educação sem nenhum diálogo e garantias mínimas previamente discutidas;
  3.  Não seremos responsabilizados pela perda de vidas ou consequências para a saúde de nossas comunidades e perguntamos: o prefeito e o secretário se responsabilizam por nossas vidas ou graves consequências à saúde causadas pela COVID-19?
  4. Solicitarmos que seja feita uma audiência presencial com todos os protocolos de segurança atendidos com o prefeito e o secretário de educação junto com os Conselhos Escolares, acompanhada pela promotoria de infância e juventude, Conselho Municipal de Educação, membros da Comissão de Educação da Câmara de Vereadores, dos Conselhos Tutelares, da Atempa, do Simpa, além de representantes da área de saúde para discutir sobre a viabilidade de um retorno às aulas presenciais de forma segura a fim de iniciar um diálogo sobre o tema.

Para nós, nossas vidas e as de nossa comunidade importam! Nesse momento escolas fechadas preservam vidas! Ano escolar se recupera, vidas não!