Vitória

Não queremos asfalto na rua Virgilio de Freitas. Vamos preservar a história do bairro.

Este abaixo-assinado foi vitorioso com 120 apoiadores!


Prezado Sr. Evando Reis.

Recebi em minha casa um panfleto de um vereador da Mooca, Sr. Ricardo Teixeira, com a informação de que as ruas no alto da Igreja São Rafael serão asfaltadas. Primeiramente, quem mora ao lado da igreja, Rua Canuto Saraiva, Orville Derby e principalmente rua Arariboia sabem que com as chuvas torrenciais estas ruas citadas ficam inundadas. As ruas que ficam precisamente atrás da Igreja, Rua São Rafael, Adelaide de Freitas e Virgílio de Freitas estão em terreno elevado e possuem capeamento de paralelipípedos, na sua maioria assentados no período da  vilinha de operários italianos ainda remanescente na rua Henrique Dantas (com mais de 120 anos), o que dão um ar de um pequeno "interior" em plena capital. Como é sabido, este tipo de pavimentação, com paralelepípedos, é considerado por qualquer engenheiro ou arquiteto como ideais e ecologicamente corretos pela absorvição da água de chuva. Ao asfaltar estas ruas, se transformarão em verdadeiros tobogãs de grandes volumes de água de chuva, assim como acontece nos cruzamentos das ruas da Mooca e Avenida Paes de Barros e Rua Olímpio Portugal esquina com a Rua Orville Derby. A minha pergunta é: Foi realizado estudo técnico de impacto ambiental? A Igreja São Rafael, que realiza Festas Juninas ao lado da Igreja tem a ciência que se houver chuva nesse período as ruas ficarão ainda mais alagadas do que já ficam, mesmo tendo paralelepípedos?

Esses 2 milhões que "destinou" ao capeamento asfáltico (informação do panfleto) nessas ruas em torno da Igreja São Rafael não seriam melhor investidos na manutenção das ruas onde já existe asfalto precário?
Não é importante manter a arquitetura e um patrimônio histórico tão importante no bairro? O Acordo internacional que o Brasil faz parte sobre redução de 2 grau Cº até 2030 não fica em desacordo ao se colocar asfalto nas ruas?

O meio ambiente deve ser levado em conta e além de como foi citado acima, manter paralelepípedos é ecologicamente correto, absorvem chuvas de pequenos volumes e encaminham novamente a água para o lençol freático ao invés de enviá-la para o sistema de drenagem urbana já sobrecarregado. Peço encarecidamente que a prefeitura devolva os paralelepípedos que foram retirados destas vias e retirem as emendas (verdadeiras cicatrizes) asfálticas destas ruas. 



Hoje: Ewerton está contando com você!

Ewerton Moraes Sarmento precisa do seu apoio na petição «Prefeitura de São Paulo: Não asfalte as ruas próximas à Igreja São Rafael. Preserve a história da Mooca!». Junte-se agora a Ewerton e mais 119 apoiadores.