Rever os direito dos Servidores Municipais da Educação

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 1.000!


ACONTECEU! É FATO!
Contratados para 2020 têm contratos rescindidos pela Prefeitura Municipal de Lagoa Formosa.

É com pesar que a classe de contratados expressam sua indignação com a Prefeitura Municipal de Lagoa Formosa perante a rescisão de seus contratos para 2020, devido a paralisação de atividades nas instituições escolares em virtude a pandemia pelo novo Coronavirus em nosso país. Rescisão esta que os contratantes nem se dignaram a fazer a dispensa, vindo a mesma através de um comunicado via whatsapp, sem assinaturas nem papel timbrado, gerando assim, até dúvidas sobre sua veracidade.
Sabedores que vivem uma época muito atípica diante essa pandemia devido ao COVID 19, na qual governo federal tem disponibilizado vários subsídios para garantir direitos de vida a grande parte da população brasileira, bem como um auxílio emergencial aos autônomos e que recebem apoio do governo tipo bolsa-família, sentem -se os contratados desamparados e até ultrajados nesse momento difícil, tanto em relação à doença quanto financeiramente também.
Portanto, a indignação dos contratados, no momento, se dá pela falta de humanização quanto a forma em que tratou ou trata a classe. Todos estudaram, se graduaram, pós graduaram, assim como se preparam, cotidianamente, para proporcionar uma educação de qualidade aos alunos de nossa cidade. É sabido ainda, que o governo municipal não bonifica graduados e pós graduados, em cargo efetivo nem contrato, sem plano de carreira até então, assim como o fazem outras repartições.
Tristes pela situação de rescisão de contrato, afinal é de seus trabalhos que lhes vêm o sustento para suas famílias. Indignados pelo desrespeito de não serem notificados oficialmente, nem convidados para um diálogo perante a situação. Certamente, teriam eles outras sugestões ou pedidos, como exemplos, economizar começando rescindir contratos municipais que tem salário maior, como secretários ou coordenadores, ou talvez somente diminuição de salários dos contratos da educação em até 70%, ou mesmo, tentar uma forma de colocar toda a classe de contratados da educação, para trabalhar, seguindo todos os procedimentos necessários indicados pela OMS e Ministério da Saúde do Brasil. Assim sendo, dispõem aqui algumas ponderações para tal assunto, bem como, um pedido para o governo municipal rever o que foi a eles exposto.
Assinam a matéria EDUCADORES UNIDOS por uma causa justa.