CRIAÇÃO DE CICLOVIAS, CICLO FAIXAS E CICLO PISTAS - ARRAIAL DO CABO!

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 1.500!


             MOBILIDADE URBANA - ARRAIAL DO CABO!

  • CRIAÇÃO DE CICLOVIAS, CICLO FAIXAS E CICLO PISTAS CONECTANDO TODA CIDADE- PERNAMBUCA  até a         PRAIA DOS ANJOS
  • SINALIZAÇÕES HORIZONTAIS E VERTICAIS ESPECÍFICAS
  • ILUMINAÇÃO DAS VIAS PÚBLICAS
  • CRIAÇÃO DE PARACICLOS (ESTACIONAMENTOS ABERTOS)
  • CRIAÇÃO DE BICICLETÁRIOS (ESTACIONAMENTOS FECHADOS)
  • CAMPANHAS EDUCATIVAS – PÚBLICO EM GERAL E  ESPECÍFICO,  PARA MOTORISTAS, MOTOQUEIROS E CICLISTAS.

Cada vez mais pessoas utilizam a bicicleta em Arraial do Cabo no seu dia a dia, seja para ir às compras ou ao trabalho; no passeio matinal e no lazer diário. Entretanto fica a pergunta – Arraial está preparada para a difícil convivência, nas vias públicas, da bicicleta entre os automóveis e outros veículos a motor?

Manter em condições as ciclovias em Arraial do Cabo e construir novas pistas é decisivo para tornar a cidade mais justa, mais inclusiva e mais democrática. Elas trarão mais segurança e saúde para os cidadãos, menos estresse, menos congestionamento e menos mortes no trânsito.

Nossa cidade não pode estacionar no passado em relação à mobilidade. Negar o desenvolvimento sustentável e o uso da bicicleta como alternativa de transporte aos cidadãos é manter um conceito ultrapassado e já abandonado nas cidades mais desenvolvidas do mundo, além de negar a quem utiliza esse meio de transporte seu direito inalienável de escolha.

Plano Diretor que tem força de Lei Municipal, tem como prioridade a bicicleta no sistema viário, para transporte e lazer. Isso significa que o uso de bicicletas deve ter prioridade sobre o uso do automóvel. Portanto, a construção de ciclovias cumpre uma das diretrizes dessa Lei, que também determina que a cidade deve “desestimular” o uso do transporte individual motorizado. Os ciclistas de Arraial se sentem inseguros e ameaçados nas ruas e até mesmo quando usam as poucas ciclovias existentes, abandonadas, sem conservação do piso e nenhuma sinalização; além da distração dos pedestres que insistem em caminhar nas ciclovias.

Quanto aos motoristas e motoqueiros que são maioria nas vias públicas, principalmente durante a temporada, nos feriadões e até mesmos nos finais de semana rotineiros, é necessário Educação e Urbanidade; devem ser esclarecidos com campanhas educativas constantes, muitas placas de orientação, vigilância de agentes e alertas quanto a velocidade, manobras bruscas e outras infrações que praticam de modo geral.

Os ciclistas devem estar conscientes que não se deve andar na contramão na via, não avançar sinal vermelho, respeitar pedestres na travessia nas faixas zebradas, que não pode mudar de faixa na pista sem sinalizar sua intenção, cabendo ao ciclista, acenar com o braço. Além disso, devem saber muito além do que apenas pedalar, conhecer seus direitos e também deveres: estar sempre atento, ser gentil, paciente e prudente. Assim, pedal a pedal, é que o ciclista poderá melhorar a vida para todos, na certeza de que as boas práticas podem tornar as ruas de nossa cidade um lugar melhor e seguro para todos que nelas se movimentam.

É preciso buscar uma solução urgente!!

Várias cidades no mundo, com as características da nossa, resolveram satisfatoriamente a tragédia urbana.

Temos que pesquisar estudar e ter a coragem de implantar medidas restritivas à movimentação de veículos na cidade, criando alternativas de deslocamento das pessoas de modo civilizado.

O prazer de pedalar, segundo pesquisas  se relaciona a um estágio de vida emocional que beneficia a todos e faz bem às pessoas maduras e esclarecidas principalmente, e tem a ver com expectativa de vida, saúde, integração social e sobretudo sensação de liberdade e autonomia.

 Precisamos criar as condições seguras para que as nossas crianças e jovens possam crescer desfrutando dessa prática tão saudável como a do Pedal!!