BANCA DE HETEROIDENTIFICAÇÃO NA FACULDADE DE MEDICINA DA USP JÁ!

BANCA DE HETEROIDENTIFICAÇÃO NA FACULDADE DE MEDICINA DA USP JÁ!

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 1.500!
Com 1.500 assinaturas, é mais provável que esta petição apareça na mídia!
Núcleo Ayé FMUSP criou este abaixo-assinado para pressionar Pró-reitoria de graduação da USP e

BANCA DE HETEROIDENTIFICAÇÃO NA FACULDADE DE MEDICINA DA USP JÁ!

A conquista das cotas raciais para os cursos de graduação em universidades públicas brasileiras é encarada como uma grande vitória por todo o movimento negro e seus aliados.

Em 2017, o Conselho Universitário da Universidade de São Paulo (USP), aprovou a resolução 7373 que torna obrigatório a reserva de vagas para estudantes pretos e pardos em todos os institutos e cursos da universidade.

O Núcleo Ayé, coletivo negro da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), foi criado com o intuito de receber justamente esses estudantes negros que ingressariam com mais intensidade nos cursos da saúde após a aprovação das cotas raciais.

Por outro lado, a realidade observada nos últimos três anos foi muito diferente da esperada. Segundo dados do Comitê AntiFraude da USP, nos anos de 2018, 2019 e 2020, já foram 32 denúncias para a reitoria por vagas estarem sendo possivelmente ocupadas por alunos brancos, levando em conta os cursos de Medicina, Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional. Tal situação, cada vez mais insustentável, representa o não cumprimento da resolução 7373 e a ineficácia da política de inclusão da USP.

Desde 2017, o Supremo Tribunal Federal declarou a constitucionalidade da adoção de bancas de verificação de cotas raciais em concursos públicos (ADC 41). E, ainda, é importante ressaltar que as unidades da USP possuem a autonomia necessária para elaborar banca de heteroidentificação local, como já ocorre na Faculdade de Direito da USP e no Instituto de Relações Internacionais, sendo que neste último houve uma recente expulsão de um aluno que havia fraudado cota racial.

O objetivo deste abaixo-assinado é para cobrar a elaboração de um processo de averiguação na FMUSP, responsável pela administração dos quatro cursos supracitados.

Banca de heteroidentificação na FMUSP já!

Assinam o abaixo-assinado

Coletivo Negro da Faculdade de Medicina - Núcleo Ayé 
Centro Acadêmico Oswaldo Cruz - CAOC
Cursinho Popular da Faculdade de Medicina da USP - MedEnsina
Centro Acadêmico Arnaldo Vieira de Carvalho - CAAVC

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 1.500!
Com 1.500 assinaturas, é mais provável que esta petição apareça na mídia!