Petition Closed
41,774
Supporters

A internet, como a conhecemos, está em risco. Se não agirmos agora, o nosso direito a nos comunicar livremente e compartilhar informações pode mudar para sempre.

Em menos de quatro semanas, a União Internacional de Telecomunicações (ou UIT), uma agência das Nações Unidas, está planejando adotar novas regras para reprimir as liberdades fundamentais dos cidadãos online.

Um grupo de empresas de telecomunicações se juntou a diversos países, incluindo China, Egito e Arábia Saudita, países que já impõem pesadas restrições às liberdades de internet, para apresentar um tratado na Conferência Mundial da ONU de Telecomunicações Internacionais em dezembro.

Até agora, a proposta passou despercebida, mas suas implicações são tão sérias que temos de agir rapidamente para mostrar à UIT e os seus países membros que os cidadãos não vão ficar parados enquanto o nosso direito de nos comunicar livremente é prejudicado.

A proposta daria a governos e empresas de todo o mundo a capacidade de:

- Cobrar dos usuários por serviços, como e-mail e Skype;

- Restringir o acesso à internet, e

- Monitorar tudo que você faz online

As novas regras atingiriam mais fortemente as pessoas nos países mais pobres, e mais ainda aquelas que vivem sob ditaduras.

Adicione seu nome à petição global e peça que representantes do seu governo que participarão desta conferência rejeitem estas mudanças que irão restringir séria e permanentemente as liberdades na internet. Aja agora, antes que seja tarde demais. Precisamos de um novo processo, onde a voz do povo seja ouvida corretamente, incluindo a de trabalhadores cujos modos de vida estão cada vez mais sendo influenciados pela internet.

Ao assinar a petição, você irá adicionar a sua voz às dezenas de milhares de pessoas que se levantam contra regulação desnecessária e restritiva online.

Uma internet totalmente controlada pelo governo e pelas grandes empresas contradiz a própria essência do que representa a internet - o acesso aberto e gratuito para todos.

É por isso que é fundamental que nós nos unamos para exigir que nossos líderes nacionais e organizações internacionais respeitem as liberdades que a internet nos dá a todos, e acabem com essa proposta logo no seu nascedouro.

Veja o nosso infográficoencontre-nos no Facebook.

Letter to
Aos membros votantes da Conferência
Aos membros votantes da Conferência Mundial de Telecomunicações Internacionais:

Eu me oponho fortemente a qualquer tentativa de minar as liberdades fundamentais dos cidadãos online.

Exorto-vos a usar o seu poder de voto para rejeitar a proposta que iria mudar para sempre as regras que regem a internet.

Eu valorizo o meu acesso à internet como uma (Nota para a equipe: 'livre' soa aqui como 'sem custo' em vez de 'irrestrito', portanto, supressão) fonte de informação aberta, um modo vital de comunicação, e uma fonte de conexão e troca global.
Minha preocupação é que o tratado iria:

- Cobrar dos usuários por serviços, como e-mail e Skype;
- Permitir aos governos maiores poderes para restringir o acesso à Internet;
- Aumentar a capacidade governamental para monitorar e restringir o uso da Internet, e
- Atingir os usuários de internet nos países mais pobres acima de tudo.

Esta é uma ameaça direta ao meu direito de acessar a internet, que tem implicações na liberdade de associação e na liberdade de expressão.

Eu conclamo os líderes nacionais e internacionais na Conferência Mundial de Telecomunicações Internacionais da ONU em Dubai, de 03 a 14 de dezembro, a respeitar a liberdade da internet e rejeitar a proposta da UIT de monetizar, restringir e regular a internet.

Exorto-vos a usar o seu poder de voto para rejeitar esta proposta e garantir que a Internet continue a ser um recurso aberto que conecte o mundo. Eu quero um novo processo que seja aberto e inclusivo para todos os usuários de internet.

Atenciosamente,