Sou advogado, apoio Sérgio Moro e a Lava Jato e repudio a nota da OAB Federal.

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 1.000!


NOTA PÚBLICA
SOBRE A NOTA PÚBLICA DA OAB FEDERAL
Os ADVOGADOS LIVRES vêm manifestar a sua contrariedade e indignação em relação à NOTA PÚBLICA aprovada por unanimidade pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e o Colégio de Presidentes de Seccionais, cujo conteúdo fez parecer que o pensamento externado pelos Conselheiros é o pensamento da classe dos advogados. O que não é verdade, porque estamos indignados e a nossa indignação reside principalmente em dois pontos: primeiro, porque a nota se dirige ao Ministro da Justiça e aos Procuradores da Lava Jato, como se existisse um procedimento de investigação que veio a público de forma íntegra e correta com provas cabais de irregularidades cometidas pelos agentes, quando é notório que se trata de informações obtidas por fonte criminosa (através de hackers) segundo, porque a Presidente do PT, na noite de 09 para 10 de junho se manifestou na imprensa, dizendo: ”tem que fazer uma coisa pública. A OAB precisa entrar em cena” e logo em seguida, no dia 10 a Nota Pública, que repudiamos é lançada, seguindo-se à visita aceita pelo Presidente do Conselho Federal e de vários Deputados do PT ao seu Gabinete no dia 11 de junho, dentre eles, alguns envolvidos em notórios escândalos, noticiados pela imprensa nacional (dinheiro levado em cuecas e desvio de benefícios de aposentados). Registramos nossa contrariedade, indignação e repúdio à NOTA PÚBLICA lançada pela OAB FEDERAL, manifestando nosso apoio e crença de legalidade e lisura nos atos praticados pelos integrantes da operação LAVA JATO, principalmente Excelentíssimo Ministro SÉRGIO MORO e Digníssimo Procurador da República Deltan Dallagnol incontestáveis defensores do interesse público e inimigos da corrupção. Esperando que os criminosos, hackers que invadiram os sítios da internet de nossas instituições públicas e seus comparsas sejam encontrados e exemplarmente punidos e que sejam preservados sempre os advogados que discordam de NOTA generalizada e precipitada.