O povo contra projeto de 13° salário para os vereadores de Juazeiro do Norte.

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 500!


Enquanto um profesor na cidade de Juazeiro do Norte, Ceará, ganha cerca de R$ 2.000, um vereador ganha R$ 10.000. Não satisfeitos com esse salário, os próprios vereadores entraram com projeto, na última terça, 11 de dezembro, para aprovar o 13° salário. 

Enquanto o município sofre com falta de recursos, a Câmara que deve representar o povo de Juazeiro, quer votar para receber mais dinheiro. Caso seja aprovada, a medida deve gerar um custo superior a 200 mil reais no nosso bolso. É nosso dinheiro ,dinheiro do povo. 

Nós, cidadãos de Juazeiro do Norte, com apoio de cada um que ler esse manifesto nos posicionamos CONTRA O PROJETO DE 13° SALARIO PARA OS VEREADORES DE JUAZEIRO DO NORTE CEARÁ, pois este é uma afronta a realidade da população que paga a conta da Câmara.

Em uma semana, os vereadores apresentaram, votaram e aprovaram sem discutir o projeto. Mostram que a confiança depositada pelo povo pouco importa. Surdos a opinião da cidade votam como querem. 

Mas ainda podemos fazer algo: chegando a 15.000 mil assinaturas poderemos como povo dar entrada na Câmara com recurso para derrubar a aprovação. Precisamos de 3% a 5% de assinaturas de todos os eleitores da cidade. Vamos provar que o poder emana do povo! 

Informações do site de noticias local badalo.com:

O projeto se baseia em uma jurisprudência em que o Supremo Tribunal Federal autorizou o pagamento de 13º para vereadores, prefeito e vice-prefeito no estado do Paraná. Com isso, as câmaras estão autorizadas a pagar, além do 13º, o terço de férias aos agentes públicos municipais. Mas para isso, cada poder deve fazer um projeto pleiteando os benefícios, que deve ser votado e sancionado pelos próprios beneficiados.

O legislativo de Juazeiro do Norte já começou a fazer sua parte, mas o projeto não é consenso e o vereador Tarso Magno já disse que nesse momento em que todos falam de austeridades, um projeto como esse vai na contramão das medidas aos demais trabalhadores brasileiros. “Nós já recebemos muito bem”, disse Tarso.

O presidente da Casa, Gledson Bezerra, disse que antes de assinar ou se posicionar sobre o projeto deve fazer um estudo sobre o seu conteúdo. Ele revela que a casa dispõe de dinheiro, mas como o pagamento deverá ser apenas em 2019, caso seja aprovado, o financeiro da Casa dependerá do próximo presidente.