Cassação de Maria do Rosário (PT/RS)

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 200.000!

Heloisa Sanvitto Dalla Costa
Heloisa Sanvitto Dalla Costa assinou este abaixo-assinado

Video DENÚNCIA com várias razões para a cassação:
https://youtu.be/VImLQjSj0zg

Video acima feito pela grande Ana Claudia Santiago: https://twitter.com/AnaClauSantiago

Nenhum político pode conseguir que seja decretada a prisão de um cidadão por este ofender aquele político. As ideias de um político alteram a vida de TODOS os cidadãos e TODOS os cidadãos é que pagam o salário deste político. Portanto o político tem que aceitar e considerar TODAS as verbalizações de TODOS os cidadãos.

Se hoje um cidadão é preso por grave ofensa a um político, muito em breve todos os cidadãos que se manifestarem contra um político serão presos também, por mais brandos que sejam. Estaremos em uma ditadura de ideias ou talvez em uma ditadura do judiciário.

Portanto, tal situação é inaceitável e é imprescindível que o político que tenha agido desta forma seja cassado para que esta ameaça seja "cortada pela raiz" e nunca mais ocorra.

A deputada Maria do Rosário usou a poderosíssima influência dela como parlamentar para conseguir que Danilo Gentili fosse condenado à prisão por ele responder com um protesto a uma notificação enviada por ela.

O protesto é este video aqui:
https://youtu.be/kaLZaRRvxtE

A notificação, feita em papel timbrado da Câmara Federal, exigia que Danilo Gentili apagasse os seguintes tuítes:

https://twitter.com/DaniloGentili/status/724263891858001920
https://twitter.com/DaniloGentili/status/724264538758086656
https://twitter.com/DaniloGentili/status/724243197489238016

Além disso, um executivo da Odebrecht disse em delação que houve repasse de R$ 150 mil para a campanha desta deputada em 2010 (suposto caixa 2). Luiz Fux arquivou a investigação, mas continua muito suspeito.

Importante citar também que a atitude desta parlamentar no dia 09/04/2019, de puxar o braço do deputado Delegado Waldir (PSL/GO) com o provável propósito de simular uma cotovelada no deputado Carlos Veras (PT/PE), pode configurar quebra de decoro parlamentar.

 

Por fim, vale recordar que esta mesma deputada, em 2003, espontaneamente imputou uma gravíssima injúria e difamação ao então deputado Jair Bolsonaro, acusando-o de ser um estuprador (um crime hediondo), apenas por ouvir ele, em entrevista à Rede TV, defender a maioridade penal aos 16 anos para estupradores. Ou seja, por ele ser o oposto de estuprador.