Tenho por obrigação de cuidar do meu pai na velhice e Justiça me Impede!!

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 500!


Minha denúncia é contra o Asilo São Vicente de Paulo em Pompéu/MG, e os familiares do meu pai que o internaram nesse asilo público. Ambas as partes Asilo e familiares apoderam-se de dois benefícios do meu pai em torno de R$ 6.500,00 (Seis mil e quinhentos reais), por mês. E o deixaram na penumbra. Sou a única filha dele e quando eu soube que tinham internado meu pai num asilo entrei em contato imediatamente com o Asilo o qual fui muito mal recebida pela senhora Ermínia (Coordenadora do Asilo). Cheguei fazer até denúncias contra a coordenadora do Asilo que ofendeu a mim e ao meu filho de 16 anos (Discriminação racial e intolerância religiosa). E nada aconteceu! O Asilo sabia que eu iria até a cidade para trazer o meu pai de volta para São Paulo e enquanto eu estava a caminho a advogada do Asilo entrou na Justiça de Pompéu/MG com uma interdição. O que é muito estranho que a advogada do Asilo entrou com o processo no final da tarde de um dia e no dia seguinte quando cheguei na cidade esse processo estava nas mãos do Juiz o qual mesmo sabendo que eu estava na cidade com duas crianças de menores, que tinha viajado mais de 900 kilometros mesmo assim deferiu a curatela para o asilo. Isso conforme o código civil é ilegal pois sou filha e quero trazer meu pai de volta e o Asilo tinha ciência disso. Me ajudem a quebrar esse esquema e trazer meu pai de volta para a família dele pois ele tem uma família que está brigando muito por ele e a Justiça insiste que a curatela tem que ficar para o asilo. Isso é um absurdo!! Que Justiça é essa!?