LUGAR DO SANDRO É NA MANADA E NÃO NO ZOO! CHEGA DE SOFRIMENTO!

LUGAR DO SANDRO É NA MANADA E NÃO NO ZOO! CHEGA DE SOFRIMENTO!

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 75.000!
Com 75.000 assinaturas, esta petição se torna uma das mais assinadas na Change.org!

​​Campanha pela transferência do elefante Sandro do zoológico em Sorocaba (SP) para o santuário em Chapada dos Guimarães (MT).​ 

Em 2020, outra petição online reuniu mais de 230.000 assinaturas em apoio à transferência da elefanta Bambi de um zoológico no interior de SP para o Santuário de Elefantes Brasil (SEB), na Chapada dos Guimarães. A campanha foi exitosa e hoje a elefanta vive feliz ao lado de suas companheiras ​Maia, Lady, Rana e Mara. A participação dos cidadãos foi FUNDAMENTAL para a Bambi!

AGORA é o elefante SANDRO que PRECISA DA SUA AJUDA! ​O Ministério Público de São Paulo ajuizou uma Ação Civil Pública ​para que o elefante Sandro seja transferido para o SEB (processo n° 1010896-59.2022.8.26.0602). A decisão está com a Justiça! Manifeste-se!

Sandro está solitário há 2 anos, desde a trágica morte da elefanta Haisa, com quem viveu confinado por cerca de 25 anos no Parque Zoológico Municipal Quinzinho de Barros, em Sorocaba (SP). Além da solidão, terrível para um animal naturalmente gregário, Sandro sofre também com as condições inadequadas de seu recinto, que afetam sua saúde. Dores articulares e problemas nas patas são, por exemplo, bastante comuns em elefantes em confinamento. Não há árvores, lama, alimentos naturais, espaço para as longas caminhadas típicas da espécie, entre outras deficiências. Mais detalhes sobre os problemas decorrentes da manutenção de elefantes em cativeiros como os de zoológicos podem ser vistos no PARECER TÉCNICO elaborado pelo biólogo Sérgio Greif e enviado à Justiça de SP.

​Até 2020 a prefeitura de Sorocaba declarava o elefante Sandro como um "animal excedente", ou seja, disponível para transferência. No mesmo ano, o Ministério Público de São Paulo​ enviou uma recomendação à Prefeitura para que o elefante Sandro fosse então transferido para o SEB, em Mato Grosso. A prefeitura inicialmente concordou. Surgiu então o Bioparque do Rio de Janeiro, manifestando interesse em ficar com o Sandro. A prefeitura mudou de postura, indicando que iria concordar com a transferência do elefante para aquele zoo. Mas o "escândalo das girafas", um rumoroso caso de maus-tratos contra animais destinados ao Bioparque, inviabilizou a transferência e fez aquele zoo desistir. Então, a prefeitura decidiu que ficaria permanentemente com o Sandro. Ou seja, a prefeitura não sabe o que quer e toma decisões contraditórias que conflitam com os interesses do elefante Sandro.

​​Os argumentos da prefeitura ​de Sorocaba ​para manter o Sandro são bastante similares aos usados pela de Ribeirão Preto para ficar com a Bambi: que a idade é avançada, que a viagem é perigosa, que o elefante é “patrimônio” da cidade etc.​ Estranhamente, a Prefeitura não fez qualquer objeção à transferência de Sandro para o zoológico do Rio de Janeiro, mas agora considera questão crítica a transferência para o Santuário dos Elefantes. Tampouco parece ter se assegurado de que o Bioparque seria um um bom destino para o animal, o que ficou evidente após o caso das girafas.​ 

​​O SEB já transportou elefantes em piores condições de saúde e mais idosos que o Sandro e, aliás, por distâncias bem maiores, como no caso dos animais que vieram da Argentina! A ONG tem uma equipe extremamente capacitada para isso. A Bambi, última elefanta a ir para o SEB, que é idosa, cega de um olho e tinha a saúde bem debilitada, hoje vive no SEB com a saúde bem melhor do que a dos tempos do zoo. E está muito mais feliz, o que pode ser atestado pelo seu comportamento! No mais, ANIMAIS NÃO SÃO OBJETOS para serem considerados “patrimônio”.

​​O Santuário de Elefantes Brasil conta com espaços gigantescos, árvores, lama e outras e condições muito boas para expressarem seu comportamento natural. No mais, Sandro viverá sob os cuidados permanentes de uma equipe altamente qualificada e especializada (biólogos, veterinários, tratadores, etc.).

Já o zoológico tem em seu histórico vários problemas envolvendo animais sob sua responsabilidade: 

  1. a fuga da chimpanzé Kelly de seu recinto;
  2. a morte de um leão sedado durante procedimento de rotina;
  3. as péssimas condições em que se encontrava o chimpanzé Black em seu recinto, posteriormente sendo transferido para um santuário também em Sorocaba, SP, por força de ação judicial;
  4. a morte do urso-preto Peter que, conforme declarações do médico veterinário Rodrigo Teixeira (que ainda atua no zoo) à imprensa, decorreu dos problemas causados pela permanência do animal em cativeiro;
  5. o afogamento de macacos. Em 2018, a imprensa noticiou () que até poucos anos antes, macacos que viviam em uma ilha dentro deste zoológico eram afogados no lago como método de adestramento para que ficassem com aversão à água e não fugissem da área que lhes era destinada. Durante as investigações se apurou também o uso de medicamentos veterinários vencidos;
  6. o desaparecimento de suricatos. Em 2016, ocorreu uma “fuga” de suricatos do zoológico sendo um devolvido anonimamente;
  7. o afastamento de veterinário. Em 2015, foi feita denúncia contra o zoológico, mais especificamente contra um funcionário, por suspeita de que este teria levado bichos do parque a uma festa infantil e realizado cursos pagos dentro da instituição municipal, o que resultou no afastamento do funcionário e, posteriormente, na sua recondução ao cargo por “falta de provas”;
  8. a morte da elefanta Haisa em 2020 por conta de problemas decorrentes do confinamento.

Tamanho dos recintos: 

  • do zoológico de Sorocaba, com a reforma ainda não executada e só agora anunciada pela Prefeitura de Sorocaba, após 27 anos de cativeiro do Sandro: 3.440 m2*;
  • do Santuário de Elefantes, concluído e à espera do Sandro: 40.000 m2.​​

* É bom lembrar que Sandro vive hoje num recinto ainda menor e que até 2020 era compartilhado com a elefanta Haisa. E que nesses futuros 3.440 m2 está incluída a área para os visitantes. Para o Sandro mesmo​,​ restarão apenas cerca de 2.000 m2.

O SEB foi criado em 2013 e hoje é internacionalmente conhecido e respeitado. Atualmente, o santuário mantém cinco elefantas na manada: ​​Maia, Bambi, Lady, Rana e Mara. Confira o trabalho do SEB nas redes sociais Facebook e Instagram.

​Assine a petição e apoie a transferência do elefante SANDRO do zoológico de Sorocaba para o Santuário de Elefantes Brasil!

READ THE ENGLISH VERSION OF THIS TEXT.

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 75.000!
Com 75.000 assinaturas, esta petição se torna uma das mais assinadas na Change.org!