Ocupar e (R)Existir! Pelo Parque da Resistência Leonardo Cisneiros no Estelita!

Ocupar e (R)Existir! Pelo Parque da Resistência Leonardo Cisneiros no Estelita!

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 5.000!
Com 5.000 assinaturas, é mais provável que esta petição apareça na mídia!
Direitos Urbanos | Recife criou este abaixo-assinado para pressionar João Campos Prefeito da Cidade do Recife e

A pandemia e a morte de tanta gente querida tem gerado um cenário desalentador. A despedida prematura do ativista Leonardo Cisneiros levou esse sentimento a milhares de pessoas. Estamos profundamente emocionados com essa perda, de um companheiro e de um amigo amado, num exercício doloroso mas necessário de dimensionar o que ela significa. Vivendo um luto que jamais deixará de ser luta, encontrando na coragem e na alegria dele a força necessária para honrar a sua dedicação, a sua entrega. 

Léo deu seu coração para a cidade. Dedicou sua energia a uma militância que não se intimidava diante das dificuldades e ameaças. Em todos e todas que acreditam na luta por uma cidade mais justa, o espírito da ação coletiva é um horizonte permanente de construção. Mas Leonardo tinha uma capacidade de juntar e misturar gente que se destacava e nos colocava pra frente. Como educador comprometido que era, cumpriu o papel de Mestre para uma geração, deixando um vazio irreparável em diversos espaços: movimentos sociais, universidade, nos espaços de gestão democrática e até agremiações carnavalescas e clube de futebol. Seu pensar e agir mobilizava utopias e revoluções. Léo foi semente e as pessoas que aprenderam com ele, são seu maior legado.

O que se viu após o anúncio de sua partida foi uma onda de comoção e merecido  reconhecimento de sua importância. Não só para o Cais José Estelita ou para o Recife, mas para repensar as cidades. O Recife não seria o mesmo sem as lutas para as quais ele contribuiu. Estelita, viadutos da Agamenon, violações e malfeitos nas obras da Copa, em defesa do Museu da Abolição, da Zeis do Coque contra o Polo Jurídico, Fábrica da Torre, pela utilização dos imóveis vagos do centro para moradia popular, entre tantas outras.

E hoje fomos nos despedir e estar no lugar onde ele queria que nós estivéssemos: no Estelita.

Estar lá foi ver o avanço das torres matando tantas possibilidades de um território de tantas lutas e esperança. Vimos também a completa omissão da Prefeitura, pois além dos prédios na área não conseguimos ver mais nada. Todas as promessas de parcelamento, áreas públicas, ações de mitigação aparentemente eram apenas propaganda. Não surpreende, pois a prioridade sempre foi o lucro. O resto que pague a conta.

Diante desse cenário, é nosso dever fazer desse momento difícil, um recomeço. E entendemos que voltar a resistência pelo Cais e defender a memória de quem lutou tanto por ele é um compromisso histórico que nos chama. Queremos que os 16 mil m² de área verde prometidos para o Cais reconheça a história daquele que lutou para que esta área fosse destinada à toda a população recifense e que assim se chame "Parque da Resistência Leonardo Cisneiros". Não é possível que mais uma vez o capital mande e desmande na cidade e não cumpra nem um plano urbanístico aprovado para seu benefício e ilegalmente.

Lançamos aqui a nossa disposição para a luta pelo Cais e que essa iniciativa seja o renascer de um novo ciclo de mobilização para um Recife democrático.

Leonardo Cisneiros, presente! Hoje e sempre!

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 5.000!
Com 5.000 assinaturas, é mais provável que esta petição apareça na mídia!