Petition Closed
Petitioning Conselho Estadual de Saúde - Bahia and 5 others

Investiguem e processem os responsáveis pela morte do meu sobrinho, o bebê David Lucas (natimorto)


Após 9 meses de gestação saudável, o primeiro filho da minha irmã Luciana Capinã nasceu morto, por causa do desleixo com que ela foi tratada no Hospital Teresa de Lisieux (conveniado Hapvida), aqui em Salvador (BA). Ela esteve três vezes na maternidade com contrações, e nas três vezes os médicos mandaram ela voltar para casa. Na última vez foi tarde demais…

É um absurdo isso que aconteceu com o meu sobrinho. Estamos tristes, perdidos, sem saber no que mais acreditar. Ele se chamaria David Lucas, e já estava com 3,7kg na barriga da Luciana, que tem só 18 anos e está desolada desde 10 de junho, quando tudo aconteceu.

Por isso estou criando este abaixo-assinado. Queremos que a Diretoria Regional de Saúde da Bahia e a Secretaria de Saúde de Salvador criem uma comissão de investigação para apurar os fatos e punir os culpados.

Também quero assistência psicológica por parte da equipe do hospital e uma indenização, que vamos buscar também pela Justiça. Já soubemos que casos parecidos ocorreram no mesmo hospital. Isso tem que parar.

Assine, por favor. Assim você pode nos ajudar. Meu sobrinho não vai voltar, mas podemos evitar que outras famílias sintam a mesma dor. 

Letter to
Conselho Estadual de Saúde - Bahia
Diretoria Regional de Saúde - Salvador Jossinei de Castro da Silva
Secretário Municipal de Saúde - Salvador José Antonio Rodrigues Alves
and 3 others
Hospital Teresa de Lisieux (Hapvida)
Presidente - Hapvida Jorge Pinheiro F. de Lima
Hapvida Marketing
Queremos que a Diretoria Regional de Saúde da Bahia e a Secretaria de Saúde de Salvador criem uma comissão de investigação para apurar o ocorrido com a morte do bebê David Lucas no dia 10 de junho de 2013 no Hospital Teresa de Lisieux (Salvador, BA).

Ele é filho de Luciana Capinã, minha irmã, que esteve três vezes no hospital na semana anterior ao parto -- e nas três vezes foi tratada com desleixo e voltou para casa.

Solicito também assistência psicológica para Luciana, que só tem 18 anos, e indenização por parte do convênio Hapvida (que estamos buscando também pela Justiça).

Por favor, evitem que outras famílias sintam a mesma dor.