RENDA MÍNIMA AOS CATADORES/AS

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 5.000!


O desastre humanitário pelo qual estamos passando também atinge catadoras e catadores de materiais recicláveis.
O avanço da epidemia do coronavírus tem levado à redução de diversas atividades, dentre elas, a coleta seletiva de resíduos.
A paralisação da Coleta Seletiva, do transporte e manejo de material recicláveis nas cooperativas de catadores(as) como medida de proteção da saúde dos trabalhadores pelo coronavírus, significa o comprometimento dos ganhos obtidos com a prestação dos serviços e com a comercialização dos recicláveis. Ou seja, o comprometimento direto do sustento de muitas famílias.
De forma a que seja garantida a segurança alimentar e o bem estar de catadoras e catadores, e para que o desespero, a fome e a doença não se instalem estes ganhos, neste momento, estes trabalhadores devem ser compensados por meio de AUXILIO FINANCEIRO E SOCIAL pelo governo municipal com uma RENDA MINIMA.
Esta medida tem a função de apoiar uma das populações mais vulneráveis e importantes, que é a dos catadores(as), conveniados ou não, nos municípios brasileiros, que estão em situação de risco.