NÃO ACEITAREMOS PRIVATIZAREM A COPASA

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 10.000!


Em tempos de destruição do meio ambiente e flagrante desrespeito às normas ambientais em prol da incansável perseguição pelo lucro imediato sem pensar no futuro, é noticiada por parte da COPASA a autorização para a sua privatização. A toque de caixa, o Governo de Minas, sem escutar a população, os profissionais da área e os ambientalistas, promove a pior política possível para os serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário do povo mineiro.

Minas Gerais é o palco dos maiores crimes ambientais da história do nosso país com o rompimento das barragens de rejeito de minério de Fundão em Mariana (2015) e Córrego do Feijão em Brumadinho (2019), que impactaram fortemente a situação hídrica do nosso Estado. De Mariana ao Espírito Santo, o Rio Doce padeceu com milhões de toneladas de rejeitos da mineradora Samarco, cujo crime matou 19 seres humanos e impactou a vida de milhares de pessoas. De Brumadinho até Três Marias, o Rio Paraopeba também morreu agonizando com outros milhões de toneladas de rejeito da mineradora Vale, cujo crime ceifou 272 vidas humanas e causou sofrimento a milhares de habitantes. Essa empresa, que sabia do risco das suas  barragens e por ganância omitiu esse fato, sem se preocupar com seus próprios trabalhadores, um dia já foi estatal e sob o discurso de maior eficiência, foi privatizada.

Ao longo dos anos, temos combatido a vontade incontrolável de privatização das nossas águas por parte daqueles que estiveram no poder. E sem escrúpulos, sem diálogo, sem discussão, o atual governo passa por cima da Constituição Estadual de Minas Gerais e dos seus cidadãos, fazendo autoritariamente mudanças que exigiriam quórum qualificado na Assembleia Legislativa, após consulta de toda população mineira através de plebiscito para esta decidir sobre a privatização ou não da COPASA.

As águas são o bem maior que um ser humano pode possuir, única garantia de se manter vivo. Entregá-las ao mercado financeiro para especulações ao sabor dos acionistas majoritários vai na contramão de uma sociedade que busca a inclusão, que é justa e solidária. Assim como entendemos que a saúde e educação pública precisam de investimento e respeito por parte dos governantes, o saneamento básico e acesso à água são um direito constitucional e humano de todos nós hoje e das futuras gerações.

O desprezo com que o Governo de Minas agride a sociedade para impor sua vontade em tempos de pandemia de Covid-19, com milhares de mineiros e mineiras que padecem da doença e quando estamos em quarentena e distanciamento social sem possibilidade de amplo debate e manifestações públicas contra tal decisão de privatização da COPASA, é mais uma clara agressão.

Vamos lutar contra isso!

As águas são nossas, dos demais seres vivos e da natureza. Não são de acionistas e bolsas de valores, que não vão priorizar a proteção de mananciais, áreas de recarga e aquíferos e o adequado e justo atendimento da população. Vão entregar aos grandes interesses econômicos.

Não aceitaremos privatizarem a COPASA!