VAMOS PROTEGER QUEM SUSTENTA O ESTADO DE SÃO PAULO

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 1.000!


O Estado de SP é o maior arrecadador de tributos da nação brasileira, mas encontra-se nesse momento de pandemia, às vésperas de um colapso financeiro sem precedentes.

Embora algumas medidas tenham sido tomadas para postergar o pagamento de alguns tributos, nada foi pensado para os empresários que além dos referidos tributos, tem sob sua responsabilidade o pagamento direto de seus empregados, que por sua vez são responsáveis por pagamentos vinculados ao próprio uso de suas residências consumindo mais água, gás, luz e alimentação, entre outras necessidades básicas, onde se encontram isolados compulsoriamente.

É fundamental  que o Governo do Estado de SP crie uma linha de crédito emergencial junto às instituições financeiras que servem ao próprio Estado e com condições especiais de crédito e parcelamento, para que possam cumprir integralmente suas obrigações para com os colaboradores pelos próximos 3 ou 4 meses.

O Governo do Estado de SP não pode quedar-se inerte e deixar a própria sorte essa fatia arrecadadora de tributos, mas que, além de colaborar com o crescimento do Estado, mais do que tudo colaborar para a manutenção de milhares de famílias que dependem dos seus empregos, que ficarão à míngua se não tiverem esse necessário apoio do Estado.

Não poderá o Governo deixar a minguá esses empresários que são responsáveis pela maior parte de circulação de dinheiro no Estado a mercê da própria sorte.

Requeremos:

1) Linha de crédito imediata em bancos que servem ao Estado, na proporcionalidade do número de empregados para que se cumpram fielmente a folha de pagamento;

2) Parcelamento do referido crédito, em 60 meses ou mais, dependendo do aporte da empresa, à partir do término do isolamento.

Termos em que elevada consideração de nosso governante e como medida da mais transparente justiça, pedimos deferimento.