Doria, devolva o quadro Operários a Campos do Jordão.

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 1.000!


Ao meus amigos, principalmente os de CAMPOS DO JORDÃO:
VAMOS DIZER NÃO À INTENÇÃO DO GOVERNO JOÃO DORIA EM RELAÇÃO AO QUADRO "OPERÁRIOS".

Em 2003, em Campos do Jordão, durante o governo do prefeito Lélio Gomes, eu era o Secretário Municipal de Cultura (à época era uma Assessoria ligada ao gabinete do Prefeito).
Neste ano, me deparei com um notinha de jornal da colunista Mônica Bérgamo que revelava a intenção da Secretária de Estado da Cultura Cláudia Costin de retirar a tela Operários, da pintora Tarsila do Amaral do Palácio Boa Vista, em Campos do Jordão e transferi-lo em definitivo para a Pinacoteca do Estado, em São Paulo.
O quadro, pintado em 1933, é uma das obras de arte mais valiosas do Brasil, avaliada em 50 milhões de dólares e integra o acervo do Palácio Boa Vista desde a década de 1970. Eu mesmo trabalhei como monitor de artes do Palácio Boa Vista durante seis anos e recebi caravanas de pessoas interessadas em conhecer tão importante obra brasileira. Em quaisquer catálogos de arte pelo mundo afora, quando a obra é citada, a cidade de Campos do Jordão e o Palácio Boa Vista também o são.
Resolvi lutar para a permanência do quadro em Campos do Jordão. Fizemos um amplo e organizado movimento com a Prefeitura, Câmara Municipal, Academia de Letras, Conselho de Cultura, Associações de Hotéis e Pousadas, amigos influentes em todas as esferas de governo e partimos para a briga. Vencemos! E a obra permaneceu em Campos do Jordão, como parte importante dos atrativos turísticos da cidade.
Assim se passaram mais 16 anos quando, de repente, outra notinha de jornal.
Agora, o governo João Doria e o Secretário de Valorização da Cultura e Economia Criativa Sérgio de Sá Leitão resolvem que o o quadro, que ficou recentemente emprestado para o MASP – Museu de Arte de São Paulo para uma exposição da artista, irá enfeitar as paredes do Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista e será retirado em definitivo de Campos do Jordão.
Se se concretizar esta insanidade do governo João Doria, Campos do Jordão perderá uma das referências do seu turismo Cultural.
Quero crer que o governador João Doria, que praticamente nasceu em Campos do Jordão e sabe da importância da obra para a cidade, não tem ciência da intenção do seu secretário de Cultura. E conto com seu bom senso para vir a público e dizer que tudo não passou de um mal entendido.
Porém, precisamos manifestar nossa indignação a esta intenção, movimentando a sociedade civil organizada que se interessa pelo Turismo, Cultura e por Campos do Jordão.
Portanto, faço apelo ao prefeito Fred Guidoni, ao secretário de Cultura e Presidente da Academia de Letras de Campos do Jordão, Benilson Toniolo, aos membros do Conselho Municipal e Cultura, aos membros de Associações que representam o comércio e a hotelaria de Campos do Jordão, aos jordanenses de nascimento e de coração, aos vereadores da cidade que se manifestem EM ALTO E BOM SOM.
Acionaremos os deputados estaduais, federais e senadores por São Paulo. Entraremos em contato com a Secretaria de Estado da Cultura e demonstraremos nossa posição. Divulgaremos. Escrevermos. Não cederemos!
Em 2003 conseguimos. Em 2019 conseguiremos novamente! VAMOS À LUTA!

#operariosficaemcampos