Pelo término das obras de pavimentação da Rodovia LMG-735 trecho Diamantina a Serro

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 2.500!


A Estrada Real é a maior rota turística do Brasil, com mais de 1.630 km de extensão e foi planejada para trazer desenvolvimento turístico para o estado de Minas Gerais. Parte integrante dessa estrada, o Caminho dos Diamantes ou Caminho Novo possui 178,3 km e liga a cidade de Ouro Preto, antiga sede da Capitania, à principal cidade de exploração de diamantes, Diamantina. Além do patrimônio histórico dos municípios desta rota, o Caminho dos Diamantes destaca-se pela beleza natural, pelos roteiros gastronômicos, pela produção de artesanato e pela pecuária e agricultura familiar local, com a produção de diversos alimentos, entre eles do conhecido Queijo do Serro, patrimônio imaterial reconhecido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha-MG).  Segundo dados da Emater-MG, até 2006, foram catalogados cerca de 881 produtores de queijo, que empregavam 2.290 pessoas e destinavam para o mercado mais de 3 toneladas do produto. Produção de queijo artesanal que foi recém regulamentada pelo governo de Minas, que se comprometeu a investir nessa atividade para o desenvolvimento econômico das regiões produtoras. Acontece que desde a data de 01/06/2020, o Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER-MG) interrompeu a passagem de qualquer tipo de veículo de carga ou ônibus na ponte sobre o Rio Jequitinhonha, na altura do km 38 da rodovia LMG-735, entre os distritos de Vau e São Gonçalo do Rio das Pedras. De acordo com o órgão, a medida foi necessária para evitar o colapso da estrutura e garantir segurança das pessoas que passam pelo local. Em outro ponto da LMG-735, no distrito de Três Barras, outra ponte foi interditada para o trânsito de veículos, que conta agora com uma ponte provisória para o tráfego entre Diamantina e Serro. A interrupção do trânsito de caminhões e ônibus sobre a Ponte do Jequitinhonha, obriga os motoristas a realizarem um desvio pelas rodovias MGC-259 e MGC-367, provocando um aumento do percurso de cerca de 100 km. O transporte de passageiros, em especial de moradores, foi reduzido há alguns dias da semana e provocou a alocação de mais de um veículo para permitir a transposição do rio. Necessário lembrar que o trecho entre os distritos de Vau e Milho Verde de apenas 16 km, ainda encontra-se sem pavimentação, embora essas obras, que incluem as reformas das duas pontes aqui citadas, já foram licitadas desde 2015 com recursos da Estrada Real, mas ficaram inacabadas e foram abandonadas pela empresa contratada. Toda essa situação, tem prejudicado sobremaneira o transporte de pessoas e de mercadorias na região, provocando prejuízos incalculáveis para o turismo, já combalido pela Pandemia de Covid-19. Diante disso, solicitamos com URGÊNCIA que, o governo estadual providencie a retomada das obras da LMG-735, no sentido de concluir a pavimentação da Estrada Real entre os distritos de Vau e Milho Verde e reformar as pontes do Rio Jequitinhonha e do distrito de Três Barras, como forma de permitir novamente o trânsito de veículos e a sobrevivência turística e econômica da região