Não ao novo aterro Cabuçu em Guarulhos! Queremos políticas ambientais e sustentáveis

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 15.000!


A cidade de Guarulhos pede SOCORRO! Somos contra a instalação de um novo aterro no Cabuçu (ou ampliação do já existente) que vai aniquilar a pouca natureza que resta na cidade, um crime ambiental de prejuízo irreparável em área de proteção ambiental!

A fauna e flora estão sendo desrespeitadas na nossa cidade! As diretrizes e princípios de Direito Ambiental não são observadas a contento pelo poder público, que viola a Constituição Federal e sistema normativo ambiental vigente. Conforme estudo realizado pela Fundação SOS Mata Atlântica, Guarulhos é a cidade que mais desmatou a mata atlântica em todo o Estado de São Paulo nos últimos anos.

BASTA DE DESCASO E ILEGALIDADE com o meio ambiente, que é de todos nós, o qual compartilhamos com as demais espécies de animais, fauna e flora.

Meio ambiente ecologicamente equilibrado é bem de todos, impondo-se ao poder público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo e assim, compete ao poder público municipal a promoção de educação ambiental e a conscientização pública para a sua preservação, bem como proteção da fauna e flora, princípios estes que não vem sendo observados, tampouco a vasta legislação ambiental municipal acerca do tema.

A implantação de novo aterro na região do Cabuçu é ilegal e já se mostra em grande equívoco, tamanha a magnitude do deslizamento ocorrido em dezembro de 2018 cujos prejuízos socioambientais são incomensuráveis sem que tenha havido qualquer responsabilização!

Ativistas ambientais e munícipes alertam que "o aterro que iniciou suas operações em 2001 em São Paulo, na divisa com Guarulhos, é o segundo maior aterro sanitário/industrial privado do Estado de São Paulo é ainda um dos maiores da América Latina. Recebe aproximadamente 6.000 toneladas de resíduos domiciliares e industriais por dia, que passariam a ser trazidos para Guarulhos se a instalação do aterro for autorizada. A construção do aterro em território guarulhense representará a destruição de mais de 900 mil m2 de área, localizada dentro de uma Área de Proteção Ambiental, Cabuçu-Tanque Grande".

Ante o exposto, AO NOVO ATERRO NO CABUÇU , ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL, NÓS, MUNÍCIPES DE GUARULHOS E DAS CIDADES ADJACENTES DIZEMOS UM AMPLO E SONORO NÃO! RESPEITAR A NATUREZA É RESPEITAR A VIDA!

#cabuçuépulmão

#aonovoaterrodigonão