PITÁGORAS: ENSINO EAD DURANTE O COVID-19

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 1.000!


Estamos passando por um momento delicado causado pelo vírus COVID-19, coronavírus. A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou pandemia global e no estado de Minas Gerais está declarado estado de emergência.

Com isso, visando o bem-estar coletivo, várias medidas para evitar o transito e a permanência de pessoas em locais de aglomeração estão sendo tomadas para diminuir a proliferação do vírus.

As nossas universidades e escolas suspenderam, corretamente, suas aulas presenciais, para diminuir o número de estudantes expostos nas ruas, no transporte público e nas salas de aula.

O Comitê Operativo de Emergências do MEC deliberou que serão permitidas alterações no calendário escolar, são diversas opções que cada universidade pode escolher para esse período de quarentena, como, por exemplo, antecipação de férias escolares e flexibilização para que disciplinas presenciais sejam ministradas a distância (EAD). A segunda opção citada tem sido amplamente escolhida pelas universidades privadas, uma vez que essas conseguem manter o fluxo de mensalidades normalmente apesar de reduzirem gastos com contas de água, luz, material de limpeza, manutenção de laboratórios e etc. Sendo assim é possível aumentar a margem de lucro mesmo ofertando cursos que não estão em suas condições ideais.

Além disso, muitos alunos dependem da infraestrutura da faculdade para fazerem seus trabalhos, afinal, não são todos que possuem seus próprios computadores ou até mesmo uma conexão estável de internet.

Vivemos uma crise econômica acentuada pelo coronavírus, sabemos que a realidade de grande parcela dos estudantes de universidades privadas consiste em trabalhar para poder manter seus estudos, mas como fazem os estudantes que foram demitidos por causa do momento que passamos com o coronavírus? E aqueles que são profissionais liberais e não estão tendo renda nesse período? Como ficarão os juros nas mensalidades?

Somos contra a cobrança do valor integral das mensalidades, estas que já compreendemos ter preços altamente abusivos. Precisamos nos organizar com intuito da redução das mesmas para que possamos continuar estudando, somente juntas e juntos conseguiremos prosseguir com mais essa luta!!

#EDUCAÇÃONÃOÉMERCADORIA