Renovação Contrato Faculdade Sumaré e Programa Escola da Família

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 500!


O Programa Escola da Família, implantado 2003, pela Secretaria de Estado da Educação de São Paulo, possibilita a abertura de escolas da Rede Estadual de Ensino, aos finais de semana, com o objetivo de criar uma cultura de paz, despertar potencialidades e ampliar os horizontes culturais de seus participantes – jovens e seus familiares – nesse espaço voltado à convivência, à prática da cidadania, em prol da integração escola-comunidade.          

O Programa reúne profissionais da Educação, voluntários e universitários e oferece às comunidades paulistas atividades que contribuem para a inclusão social, tendo como foco o respeito à pluralidade cultural e a uma política de prevenção que concorra para uma qualidade de vida cada vez melhor.

Cada escola organiza as atividades dentro dos quatro eixos do Programa: Esporte, Cultura, Saúde e Trabalho.

Em diversas regiões do Estado, as escolas públicas constituem o principal, ou, muitas vezes, o único equipamento público comunitário, especialmente nas localidades em que há pouca ou nenhuma opção de lazer e cultura.

Os espaços escolares, normalmente ociosos aos finais de semana, passam a ser ocupados com atividades endereçadas à comunidade, favorecendo lhes o direito de conquistar e fortalecer sua identidade.

Assim, responsavelmente, essa comunidade, apropriando-se desses espaços, agrega ao seu cotidiano valores essenciais para a edificação de uma cultura participativa.

Hoje, milhares de universitários, de todo o estado de São Paulo, dedicam seus finais de semana ao Programa Escola da Família e, em contrapartida, têm seus estudos custeados por um programa de concessão de bolsas – o Projeto Bolsa Universidade – realizado em Termo de Parceria com instituições particulares de Ensino Superior.

Desde 2003, foram centenas de crianças e adolescentes que retiradas de um convívio de vulnerabilidade, e integradas em projetos e oficinas que os levaram para novos caminhos, muitas se tornam voluntárias do programa, e até criam perspectivas de ir para uma universidade, e grande parte consegue, visto que o próprio programa possibilita isto através da bolsa.

A questão é que, o programa é renovado anualmente através de contratos firmados entre a Instuição de Ensino e o Governo. Nós estudantes da Sumaré, todos os anos temos problema com a mesma relacionado a renovação do mesmo. Visto que a mesma busca de todas as formas extinguir o programa e receber dos alunos o valor integral da mensalidade.

No início do ano de 2019, o programa já teve uma grande perda com a Universidade Uninove, na qual rompeu e/ou não renovou o contrato com o programa e centenas de alunos perderam suas bolsas, como forma de respaldo a instituição liberou um desconto por seis meses aos alunos no valor que recebiam do governo, a fim de que os mesmos continuassem com os estudos.

A instituição de ensino SUMARÉ, além de apresentar diversos problemas relacionados ao atendimento, professores não aptos para lesionar, estruturas físicas em péssimas condições, todos os anos, sem exceção, provocam um grande caos na vida dos bolsistas, com ameaças através de mensagens e ligações devido a não renovação do contrato. O que deixa bem claro que a faculdade não apoia em nenhum momento a continuação, formação ou início dos estudos de todos os bolsistas pelo programa escola da família.

Sendo assim, nosso abaixo-assinado, tem por finalidade solicitar a instituição um respaldo, aderindo a renovação do contrato com o governo para o ano de 2020 ou a concessão de bolsa e/ou desconto nas mensalidades dos bolsistas a fim de concluir seus estudos.