Diversidade na equipe brasileira de revisão de posts do Facebook

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 500!


Desde as manifestações de 2013, que foram autênticas da população (16 e 17 de junho), sem bandeiras e organizadas por eventos criados no Facebook, os grupos políticos enxergaram uma oportunidade: se infiltrar na rede, fantasiados de "movimentos sociais" para controlar a opinião pública.

Sites de baixa qualidade, perfis falsos, memes, vídeos muito bem editados e manipulados para controlar o sentimento do povo viraram uma estratégia de marketing massiva para destruir reputações e beneficiar poucos políticos, seus projetos de lei e um grupo pequeno de corporações criminosas.

Com isso, criaram uma narrativa usando conteúdos que espalham a desinformação no Facebook, causando um caos sem tamanho. E percebemos depois de meses denunciando diversos conteúdos com discurso de ódio que a plataforma tem deletado alguns, mas deixado outros que atendem uma única visão política, demonstrando a parcialidade da ferramenta.

O ano de 2018 é muito importante para o Brasil e o Facebook precisa tomar uma medida urgente para resolver um problema grave: a diversidade da equipe que trabalha revisando os conteúdos reportando ódio e notícias falsas na plataforma.

Exigimos mais transparência sobre o time responsável por decidir o que entra e o que sai do Facebook. De acordo com os retornos das denúncias de usuários --como nós-- fica claro que a maior parte da equipe é formada por brasileiros de classe média alta ou que moram nos Estados Unidos. Nota-se: grupos sociais numerosos que formam uma parte importante da sociedade brasileira não estão representados neste departamento que, hoje, tornou-se bastante relevante para a luta contra a desinformação no Brasil.



Hoje: Gustavo está contando com você!

Gustavo Santiago precisa do seu apoio na petição «Facebook: Diversidade na equipe brasileira de revisão de posts do Facebook». Junte-se agora a Gustavo e mais 214 apoiadores.