Concessão de Título de Cidadão Guaçuano ao Sr Gerson Soares Martins

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 500!


Concessão de Título de "Cidadão Guaçuano" ao Sr Gérson Soares Martins

Nós, ex-coralistas do Coral Municipal "Profª Zenaide Franco de Faria Mello", ex-integrantes dos Coros "Madrigalma", "Madrigalminha", "Infantil Juvenil Emia", ex-alunos de iniciação musical Emia, Corporação Musical "Marcos Vedovello", entre outras instituições de Ensino, onde o Sr Professor de iniciação musical e Regente Gérson Soares Martins lecionou durante as décadas de 1980, 1990 e 2000, solicitamos o título de "Cidadão Guaçuano" a esse honorável professor.

Em 1979 ingressou no então recém-formado Coral Municipal, no naipe de tenores. Devido a sua versatilidade musical e instrumental foi convidado a compor o quadro da Corporação Musical “Marcos Vedovello” como músico e, posteriormente, professor de música, exercendo mandato de 1º secretário e Diretor.

Durante a primeira metade da década de 1980, compondo o quadro do Coral Municipal de Mogi Guaçu, a paixão por esta modalidade de arte foi aumentando. Impelido pela beleza e encanto desta arte, participou de cursos de formação de canto, solfejo, percepção musical, harmonia, arranjo e técnicas de regência e, em algumas oportunidades quando convidado, assumiu a regência em apresentações.

Em abril de 1987, iniciou seu trabalho como professor Iniciação Musical no EMIA, ainda na praça Rui Barbosa (popularmente conhecida como Praça do Recanto) e, a partir deste momento, a história de vida de milhares de crianças, jovens e adultos tomaria outro rumo.

Com o pensamento fervilhante de ideias e ideais para colocar em pratica, o coração exultante de paixão pela música e a capacidade de educar deram seus primeiros passos. Foi criado o Coral Infantil do EMIA, que em 1994, passou a denominar-se Coral Infanto-Juvenil EMIA e, em novembro de 1996, tornou-se o Coral Municipal de Mogi Guaçu “Professora Zenaide Franco de Faria Mello”.

Em sua estrutura o Coral Municipal “Professora Zenaide de Faria Mello” era subdividido em 3 (três) coros distintos: Coro Infantil “Madrig’alminha”, Coro-escola “A Piaccere” e Coro “Madrig’alma”, todos regidos por Gérson Soares Martins.

Além dos coros, o Coral Municipal “Professora Zenaide de Faria Mello”, abrigava diversas oficinas de aprimoramento musical, Oficina de Canto, Oficina de Técnica Vocal, Oficina de Teoria Musical Básica, Oficina de Teoria Musical Aplicada ao Canto Coral (TEMACACO) e Oficina de Regência Coral Básica. Tais oficinas eram todas ministradas por Gérson Soares Martins.

Desde 1987 promoveu o Canto Coral, incentivando a troca de experiencias entre regentes, maestros e coralistas de diversas regiões do estado, organizando os encontros de coros mirim e, posteriormente, quando assumiu a regência do Coral Municipal, os encontros de coros adultos de 1997 a 2008.

Entre os anos de 1996 a 2006 representou Mogi Guaçu no Mapa Cultural Paulista – categoria Coral, primeiro com o Coral Infanto-Juvenil EMIA e posteriormente com o Coro “Madrig’alma”.

Deixou a Regência Coral Municipal “Professora Zenaide de Faria Mello” em dezembro de 2008, e desde então tem se dedicado ao apoio técnico vocal a cantores, atores, grupos vocais e teatrais.

Dedicação é outra marca registrada deste exímio profissional, que além de referência de profissional devido sua paixão, competência, excelência, conhecimento, versatilidade, persistência e determinação, se tornou referência como ser humano.

Gérson Soares Martins, para muitos o “Tio Gérson”, sempre incentivou o estudo além do que era ensinado. Durante os ensaios de repertório, antes mesmo do primeiro contato com a linha melódica da partitura, sempre havia uma breve aula sobre o compositor, sobre o contexto histórico da época da composição da obra, sobre o idioma falado, além de tradução e contextualização emocional para interpretar a obra, matemática (métrica e tempo) e , porque não, física (projeção de som).

Um homem de muitos talentos, mas acima de tudo, de uma capacidade de compreender e ouvir ao outro como poucos. Sempre estendeu a mão e foi amigo nas horas de necessidade. Vibrou com o sucesso de cada um, riu com as piadas e trapalhadas de outros e chorou junto quando houve infortúnios.

Durante os anos de 2000 a 2008 foram várias visitas às Casas Abrigo e ao Lar da Terceira Idade, proporcionando alegria, música e calor humano a cada um de seus moradores. Ações comunitárias com arrecadação de alimentos e agasalhos também foram desenvolvidas entre os integrantes do coral e suas oficinas.

A cidadania, o respeito, o desenvolvimento pessoal e intelectual e o amor incondicional, ética, profissionalismo, superação e dedicação são atributos que eram transmitidos de forma natural a todos que estavam direta ou indiretamente ligados a ele.

O resultado de todo esse trabalho de mais de vinte anos ligados à musica atualmente reverbera, uma vez aqueles ex-alunos e coralistas de alguma forma estão ligados à cultura ou à educação, seja por serem profissionais da música ou por fazerem trabalho comunitário por meio da música, seja por serem profissionais das artes cênicas ou por serem profissionais da educação infantil, juvenil ou adulto. Infelizmente nem todos tinham vocação para o ensino e para a arte, no entanto, vê-se profissionais dedicados nas mais diferentes profissões e áreas de atuação, inclusive em outros países.

Com todo esse carinho, Tio Gerson não desenvolveu apenas alunos em coralistas ou instrumentistas, fez de seus alunos suas obras musicais, desenvolveu homens e mulheres, cidadãos conscientes, pessoas com fome de desenvolvimento e conhecimento, pais e mães de família que transmitirão seus ensinamentos por mais gerações.

A honraria é uma forma de agradecer toda dedicação e ensinamentos que recebemos, homenageando nosso estimado Professor que nos deixou um legado. O legado do SABER.