Redução da mensalidade absurda cobradas, sem termos aulas presenciais

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 100!


PELA REDUÇÃO DAS MENSALIDADES DURANTE A QUARENTENA DO COVID-19

O COVID-19, mais conhecido como Corona Vírus, foi declarado atualmente pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como pandemia. Neste sentido para o bem-estar coletivo tornou-se necessário medidas emergenciais relacionadas ao convívio social como evitar transitar e permanecer em espaços com aglomeração, tudo para que a proliferação do vírus seja controlada. Diante disso, a maioria das escolas e universidades suspenderam suas aulas presenciais como medida preventiva, além da diminuição do uso do transporte público.

Depois das suspensões das aulas, neste período de quarentena, há questionamentos de muitos estudantes quanto a necessidade se serem encontradas formas para continuar estudando. Criado para aliviar os efeitos do Corona Vírus no ambiente acadêmico, o Comitê Operativo de Emergências do MEC, deliberou que serão permitidas alterações no calendário escolar (como antecipações das férias), além da flexibilização das disciplinas presenciais para serem ministradas em EAD (Ensino à Distância).

A segunda opção tem sido amplamente adotada por grande parte das universidades particulares. Grande maioria dessas instituições não consultaram o corpo estudantil para tomar um posicionamento a respeito do assunto, pois tais mudanças refletem na qualidade do ensino e principalmente na cobrança integral das mensalidades, já que os cursos presenciais são bem mais caros e não estão sendo ofertados em suas condições ideais.

Nós, do Movimento Correnteza encaramos que a modalidade do Ensino à Distância: não pode ser encarada como método paliativo diante dessa crise de pandemia que que atinge o nosso país e o mundo; exclui os estudantes que não possuem acesso à internet e estrutura adequada para estudar por plataformas digitais; não garante que estudantes portadores de deficiências (PCD’s) possam ter acesso, além da desvalorização do processo pedagógico que provoca a sobrecarrega dos professores, que em pouquíssimo tempo são obrigados a produzir material e a se adaptar a uma plataforma online de ensino. Dessa forma, as instituições de ensino que mesmo assim, flexibilizarem seus cursos presenciais para EAD, reivindicamos as seguintes medidas:

- Redução de todas as mensalidades e suspensão de dívidas/taxas neste período de quarentena;
- Suspensão da reprovação dos estudantes por falta;
- Divulgação ampla e disponibilização de formas para que os estudantes possam continuar seus estudos, principalmente os estudantes PCD’s e aqueles que não tem acesso a internet/plataforma digitais;
- Inclusão de mais de uma opção de verificação de notas, além de trabalhos para a complementares;
- Oferecer formas de reposição das aulas e/avaliações;
- Não alteração doo Coeficiente de Rendimento (CR) com base nas notas do semestre de 2020.1.
- Garantia de impressão e resgate de documentos;
- Garantia de trancamento do semestre sem taxação, dado que o estudante não poderá cursa-lo por motivo de força maior.