CONSTRUÇÃO E MANUTENÇÃO DAS CICLOVIAS DA REGIÃO METROPOLITANA DO VALE DO AÇO

CONSTRUÇÃO E MANUTENÇÃO DAS CICLOVIAS DA REGIÃO METROPOLITANA DO VALE DO AÇO

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 1.000!


Em busca de mais qualidade de vida, entrei para o grupo de pedal (MTB bike) em Coronel Fabriciano, MG. A bicicleta é o meio de transporte que sempre foi usada por mim. Além disso, sempre observei que muitos funcionários de empresas, alunos, professores e comerciantes usam este meio de transporte. Todos sabem que é um meio que desloca com facilidade, de baixo custo e não polui.

Dito isso, observei alguns pontos ao longo da região metropolitana do Vale do Aço onde ocorreram diversos acidentes entre bicicletas e veículos. Exemplos destes,  temos o acidente ocorrido no "Morro da Usipa" (que liga Coronel Fabriciano a Ipatinga) onde Geraldo Soares Louzada (14/05/2020) foi vítima fatal numa colisão entre uma bicicleta e um veículo. Maria Angélica Rodrigues Nunes também foi vítima fatal. Ela estava acompanhada de Simone Oliveira Assis Carvalho, que também se envolveu no acidente provocado por veículo e hoje está paraplégica. Ambas formam vítimas na Avenida Maanaim, entre os bairros Canãa e Cidade Nobre Ipatinga/ MG. Meu sobrinho Raylander Dorico Paiva, 12 anos, que caiu da bicicleta ao se deslocar próximo ao Oikós (local onde as condições da pista irregulares) em Timóteo/MG, tendo traumatismo craniano, também está entre essas vítimas.

Outros nomes também foram citados nas mídias, anônimos que foram vítimas em nossa região metropolitana, por deslocarem para irem trabalhar, estudar, praticar esportes, buscar lazer, e acabam por perder suas vidas por não serem respeitados por veículos ou devido as más condições das ciclovias, ou até mesmo pela falta delas. 

A bicicleta, mesmo sendo acessível e muito utilizada pela população, tem seu uso como perigoso porque existe falta de iluminação, areia na pistas, postes em meio as ciclovias, estacionamento de veículos em locais inadequados, mato, galhos de árvores, deformidades na pista, falta de ciclovias e falta de respeito para com os ciclistas.

A comunidade precisa de ciclovias para se deslocarem para o trabalho, escola, praticar esportes e ter momentos de lazer, e com isso melhoram a qualidade de vida e também do meio ambiente. Por isso, buscamos com este ato promover mais segurança para todos os ciclistas que desejem se locomover. Precisamos de ciclovias bem pavimentadas e de qualidade na região metropolitana do Vale do Aço, com manutenção constantes, limpeza e sua construção nos locais onde ocorreram as fatalidades e os pontos onde existe  alto índices de acidentes. Além disso também precisamos de campanhas de conscientização a fim de trazer respeito aqueles que andam de bicicleta pela cidade.