Contra a adesão ao programa Ensino Integral na EE Paulo Kobayashi. Sim a educação!

Contra a adesão ao programa Ensino Integral na EE Paulo Kobayashi. Sim a educação!

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 100!
Com 100 assinaturas, é mais provável que essa petição seja recomendada a outras pessoas!
Anderson Ferreira criou este abaixo-assinado para pressionar Diretoria de Ensino Leste 2 e

Ajude a EE Paulo Kobayashi assinando essa petição.

A implantação da PEI ( projeto escola em tempo integral) na EE Paulo Kobayashi não é o melhor para a nossa comunidade. A verdade precisa ser dita. Entenda todos os lados.

A EE Paulo Kobayashi está passando por um desmonte. Não houve diálogos sobre o assunto, e eles querem implementar a PEI por conveniência, conveniência de quem?

Exigimos uma gestão democrática, uma reunião com a comunidade escolar, aberta e registrada sobre o assunto.

A nova direção da escola quer implementar esse programa de Ensino Integral, como se fosse a última saída para os baixos rendimentos do IDESP (índice de desenvolvimento do estado de São Paulo) que a escola vem apresentando. Sendo que essa baixa na qualidade do ensino muito se deve à outros fatores como: falta de investimentos público tanto na escola quanto em seu entorno; falta de um diálogo democrático entre todos os envolvidos na educação; falta de um olhar para a realidade socioeconomica do público que estuda nessa escola .

Essa falta de visão administrativa não só levou ao fechamento do período noturno, mas também acabou com o pólo da ETEC em nossa escola.

Nós professores e alunos estamos indo contra porque sabemos os verdadeiros motivos dessa mudança. Não adianta um projeto de escola que favorece alguns e não atende as necessidades de todos: e o aluno que está no programa jovem aprendiz? e os jovens que fazem cursos profissionalizantes no contra turno? Temos que resistir, lutar pela escola, assim como sempre fizemos.

Você sabe como funciona uma escola de tempo integral PEI?
No papel e na teoria parece mil maravilhas, mas não se deixe iludir. Pergunte a pais e estudantes, e verão que muitas são as transferências e evasões.
Somos contra por esses motivos:

1. Este processo está sendo realizado de forma precipitada, não sendo precedido do mais amplo debate, razão pela qual, antes de ser levado à apreciação do Conselho de Escola, deveria ser objeto de reuniões amplas através de debates com especialistas sobre o tema, garantindo a plena democracia e transparência, princípios fundamentais do processo da gestão democrática.


2. Os pais dos alunos não foram informados de que as vagas serão reduzidas e seus filhos terão de ser transferidos para outras unidades, inclusive, dependendo de condução pública ficando expostos à violência que tem sido uma constante em nosso município.


3. Temos relatos de experiências malsucedidas de professores e alunos, que já participaram desse modelo de escola. De acordo com eles, na prática o que ocorre é a prisão dos alunos nas escolas, sem profissionais para ministrar as oficinas. Esse programa é uma verdadeira farsa.


4. Se não conseguiram suprir o problema das aulas vagas em meio período, não há garantias de que conseguirão supri-lo posteriormente;


5. As oficinas não funcionam, e o salário dos profissionais não atrai profissionais interessados. Ninguém quer dar as tais oficinas, assim as escolas tornam-se um “depósito de alunos” presos e ociosos;


6. Já que na prática a alimentação oferecida pela escola não agrada a maioria dos alunos, muitos ficariam com fome, ou seriam forçados a comprar lanches ou refeições;


7. Necessitamos de aulas de idiomas, línguas, informática, dança, reforço, teatro, esportes, música; para quem quiser cursar, mas sem obrigar o aluno a permanecer o tempo inteiro preso na escola. A escola não pode ser como uma prisão ou um depósito de alunos.


8. Sempre faltam recursos materiais, e a organização é falha. Em relação as tais parcerias, estas estão mais preocupadas com as vantagens que podem obter, tendo o aluno mais como consumidor em potencial, do que como cidadão em formação.


9. As vantagens apontadas não passam de promessas muito vagas de que haveria oficinas com cursos alternativos, e os alunos poderiam optar por montar sua grade. Não informaram quais os tipos de cursos, quem dará os mesmos e quais serão os conteúdos estudados.

10. Não explicam para os alunos que eles não podem abdicar das matérias do currículo básico, pelo contrário, passaram-lhe a ilusão que podem cursar ou não todas as disciplinas, por exemplo.


11. São muito vagas as informações vindas de quem já nos prometeu muito e não cumpriu nada até agora.


12. Haverá perda do nosso quadro docente. A maioria dos professores seria obrigada a se remover da escola, pois não podem ficar presos em regime de dedicação exclusiva. Atualmente, temos excelentes professores, formados nas melhores universidades, com a experiência de anos de dedicação à rede estadual que estão comprometidos com a escola. Pode ser deslocado compulsoriamente para outras unidades escolares, podendo ou não voltar dependendo das condições como o perfil a dedicação exclusiva.


13. Os alunos serão prejudicados, pois o Projeto Político Pedagógico seria constantemente interrompido devido ao grande fluxo de professores, muitos deles sem identidade nenhuma com a comunidade;


14. Precisamos sim de uma escola de qualidade, porém, antes de qualquer mudança, precisamos de professores de todas as disciplinas, em todos os períodos e profissionais valorizados e bem pagos por tudo que já fazem pela educação pública, pela dedicação e o compromisso com a escola pública.
Nossa tarefa é combater a exclusão, principalmente na escola pública. Dêem condições de trabalho dignas aos nossos professores, condições também aos alunos para uma aprendizagem significativa para todos nós, sem excluir nem professores nem alunos. Preservem a Escola Estadual Paulo Kobayashi, com sua importância histórica neste município. Significativa para toda comunidade, sem exclusão.

 

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 100!
Com 100 assinaturas, é mais provável que essa petição seja recomendada a outras pessoas!