Nós defendemos o Serviço Público! Nós rejeitamos a Reforma Administrativa!

Nós defendemos o Serviço Público! Nós rejeitamos a Reforma Administrativa!

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 1.500!
Com 1.500 assinaturas, é mais provável que esta petição apareça na mídia!

Sindicato dos Docentes da UFSM (SEDUFSM) criou este abaixo-assinado para pressionar Deputados e

A Reforma Administrativa proposta por Jair Bolsonaro e Paulo Guedes é propagandeada como "economia" para os cofres públicos, a partir de um suposto enxugamento do Estado brasileiro que, segundo o governo, é um Estado inchado. O que Bolsonaro e Guedes não dizem, é que essa "economia" é, na verdade, corte, precarização, sucateamento e desinvestimento, e que tudo isso será feito às custas de algo muito importante para o Brasil: o Serviço Público.

Não são poucos os dados que mostram a importância do Serviço Público para o Brasil e para o povo brasileiro. Para uma parcela gigante da população, o Serviço Público é o único acesso ao mínimo de dignidade. E é nisso que a Reforma Administrativa vai atacar. Com a Reforma, a saúde pública com o SUS, a pesquisa, a ciência e a tecnologia pública, a educação pública, sejam as universidades, escolas e creches, tudo isso terá que sobreviver com orçamentos ainda mais minguados, infraestruturas ainda mais precarizadas e servidores ainda mais mal remunerados. Aliás, falando em servidores, para citar apenas mais um prejuízo da Reforma Administrativa, caso ela seja aprovada, o concurso pode deixar de ser a principal via de acesso à carreira pública e o apadrinhamento político pode se tornar um tipo corriqueiro de contratação.

É por isso que nós da Sedufsm propomos esse abaixo assinado. Para dizer que o Brasil não precisa de um Estado menor. O Brasil precisa de um Estado forte e gigante, que consiga atender a todas as necessidades de seu povo. E isso só se faz com um Serviço Público com investimentos adequados e suporte governamental.

Nós, abaixo assinado, defendemos o Serviço Público! Nós rejeitamos a Reforma Administrativa!

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 1.500!
Com 1.500 assinaturas, é mais provável que esta petição apareça na mídia!