CPI da Saúde/IGES Distrito Federal

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 1.500!

Com 1.500 assinaturas, é mais provável que esta petição apareça na mídia!

Decorrido mais de um ano de declarada a Pandemia da Covid-19, após milhões destinados a instalação de leitos, aquisição de equipamentos, insumos e contratação de pessoal, centenas de infectados padecem nas filas de espera por um leito de U.T.I.
Cirurgias eletivas suspensas, medicamentos de uso continuo que deveriam ser distribuídos gratuitamente encontram-se com estoques zerados gerando risco de vida para pacientes transplantados, pacientes oncológicos, dentre outros e mais recentemente determinado o fechamento de ambulatórios de atenção secundária. A lista continua:

✓Corpos amontoados e sem refrigeração

✓Ausência de invólucros/sacos mortuários para transporte dos mortos

✓Ausência de laboratório de necropsia no Serviço de Verificação de Óbitos

✓Falta de equipamento de proteção para servidores

✓Pacientes atendidos em locais imporvisado

✓Veículos para transporte de corpos quebrado

✓Fechamento do Hospital de Campanha do Mané Garrincha

✓Indisponibilidade de leitos de UTI e UCI

✓Descumprimento do próprio Plano de Mobilização de Leitos do Distrito Federal

✓Prisão do Secretário de Saúde - Operação falso negativo

✓Denúncia MPDFT por crimes na compra de testes rápidos

✓Doação de equipamentos para a cidade de Corrente no Piauí

✓Favorecimento de empresas fornecedoras de insumos

✓Tráfico de influência

✓Fraude na construção do hospital de campanha do estádio Mané Garrincha

✓Indicação de amigos pessoais para as diretorias do IGES

✓Direcionamento de licitações

✓Farra com gastos com cartões corporativos

✓Superfaturamento na construção dos hospitais de campanha e aquisições

✓Desvios de respiradores e outros insumos

✓Nepotismo e fraudes na divulgação de dados

A tudo isso somam-se inúmeras denúncias do Ministério Público, OAB-DF ameaça levar Ibaneis à Justiça por conduta sobre a Covid-19 e vídeos divulgados pelo COREN-DF mostram gambiarras e situação de total precariedade física, além da de itens básicos como equipamentos de proteção individual.


Decretado novo Lockdown e toque de recolher com consequentes prejuízos a economia e demissões em massa, cresce a indignação e multiplicam-se perguntas sem resposta que o povo merece saber e o Estado a obrigação de fornecer.
CPI da saúde já!
Queremos respostas.