Voto NÃO à indicação do Deputado Eduardo Bolsonaro à embaixada brasileira nos EUA

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 2.500!


Nós, cidadãos da República Federativa do Brasil, queremos nos posicionar por meio desse abaixo-assinado CONTRA a indicação do Senhor Eduardo Bolsonaro, filho do presidente da República Senhor Jair Messias Bolsonaro, à Embaixada Brasileira nos Estados Unidos da América. Pontuamos os seguintes argumentos abaixo:

a. Desde o período da redemocratização, o Brasil contou com 9 diferentes embaixadores em Washington, todos eles diplomatas de carreira, com elevada capacidade comprovada no trato de questões relativas às relações internacionais. Aliás, a representação diplomática do Itamaraty é reconhecida mundialmente pela sua elevada capacidade e profissionalismo.

b. O declarado alinhamento ideológico do Sr. Eduardo Bolsonaro com o atual presidente dos Estados Unidos da América, Sr. Donald Trump, é veiculado pelo presidente como um motivo positivo para a indicação. Compete entender, porém, que a posição de embaixador tem o intuito de defender os interesses do Estado Nacional, e não de um projeto de governo específico, estando acima de qualquer posição ideológica. Dessa forma, esse alinhamento tende a promover instabilidade no trato dos interesses nacionais pois, muitas vezes, a missão de um embaixador é resolver crises e ser combativo na defesa dos interesses nacionais.

c. Os EUA passarão no ano que vem por uma nova eleição para a presidência. Caso a eleição seja vencida por um candidato com agenda diferente da aceita pelo presidente e seu filho, como se dará a relação do embaixador na defesa dos interesses brasileiros nos EUA? O Sr Eduardo e o Sr Jair Bolsonaro já demonstraram reiteradas vezes dificuldades de lidar com opiniões políticas diferentes, tratando os adversários políticos como inimigos pessoais.

d. A nomeação desperta controverso entendimento sobre o uso de nepotismo para a indicação e, apesar de não ser fato ainda transitado em julgado no STF, a aprovação de uma súmula em agosto de 2008 pelo plenário do mesmo tribunal deixa clara a proibição de autoridades nomearem cônjuge ou parente até terceiro grau para cargo em comissão, de confiança ou função gratificada em qualquer dos Poderes, nos níveis municipal, estadual e da União.

Diante de todos os pontos expostos, entendemos ser primordial o posicionamento de Vossas Senhorias na defesa dos interesses do Estado Brasileiro, em detrimento aos interesses de um governo específico, votando CONTRA essa nomeação. É importante defender que a posição na Embaixada nos EUA, posto mais importante da diplomacia brasileira, seja ocupado por um profissional de carreira do Itamaraty, o que, aliás, tem sido praxe em TODOS OS GOVERNOS BRASILEIROS desde a redemocratização.