Volta às aulas presenciais

Volta às aulas presenciais

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 200!
Com 200 assinaturas, é mais provável que essa petição seja recomendada a outras pessoas!
MICHELLE CAMPA WENDLER BIGARELLA criou este abaixo-assinado para pressionar Colégio Suíço de Curitiba

Pinhais, 06 de Outubro de 2020.

Ao Sr. Reto Schafflützel

Diretor

Colégio Suíço-Brasileiro

Prezado,

Iniciamos nosso ano letivo, como sempre, com muito entusiasmo, crianças ansiosas, muitos planos e expectativas se desenhando. Ao mesmo tempo, acompanhávamos a disseminação de uma nova doença, sem sabermos como nos afetaria ou quando nos afetaria. E foi assim que, em março deste ano, vimos nosso tão querido Colégio, assim como tantos outros estabelecimentos, fechar, visando garantir a saúde e segurança de nossos filhos.

Torcíamos para que não durasse mais do que algumas semanas, mas, infelizmente, os dias foram passando, as notícias que surgiam não eram boas, e assim, as semanas viraram meses. Eis que, há quase 7 meses nossos filhos estão em casa, sendo atendidos de forma dedicada e exemplar por esta instiuição e seus professores, entretanto, de forma inadequada, para todos.

Reconhecemos todos os esforços despendidos pelo Colégio nesses meses que se passaram, tendo avançado e evoluído em muitas situações. Os professores, sempre dedicados, se superam a cada momento, se desdobrando e renovando as forças das crianças, que em muitos momentos, desanimam, demonstram cansaço e desmotivação. Quanto a nós, pais, cabe a tarefa de ajuda-los, muitas vezes fazendo as vezes dos professores, enquanto paralelamente, ainda temos nosso próprio trabalho a ser exercido. Chegamos até aqui, mas, a verdade, é que tudo isso é inadequado, cansativo, frustrante e triste.

Temos acompanhado todo o movimento do Colégio, junto aos órgãos competentes, para um possível retorno, bem como temos acompanhado os desdobramentos em outros Estados do Brasil. Já é sabido que no Amazonas, por exemplo, há cerca de um mês as escolas retornaram com um sistema de ensino híbrido, sem grandes afetamentos na curva de contágio da doença até o momento (https://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2020/09/10/manaus-completa-1-mes-de-reabertura-de-escolas-publicas-com-bons-exemplos-temor-e-desafios.ghtml No Rio de Janeiro, no último dia 30/09, o Tribunal de Justiça decidiu, por unanimidade, pela reabertura das escolas particulares (https://www.brasildefato.com.br/2020/09/30/justica-autoriza-retorno-das-aulas-em-escolas-privadas-do-rj-a-partir-desta-quinta Ainda, em notícia veiculada em 05/10/2020, 8 redes Estaduais do país já definiram data para retorno das aulas, sendo Espírito Santo, Minas Gerais, Pará, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Sul e Santa Catarina (https://g1.globo.com/educacao/noticia/2020/10/05/redes-estaduais-do-ensino-publico-ja-tem-data-de-reabertura-veja-a-situacao-no-seu-estado-e-capital.ghtml Internacionalmente, países como Itália, Espanha e França, que tiveram grandes dificuldades em conter o surto da doença no começo do ano, hoje já têm suas crianças de volta às aulas, com os devidos protocolos de higiene e demais cuidados pertinentes. Lá, a maioria das escolas está em pleno funcionamento, pelas notícias que podemos acompanhar, além de relatos de amigos e parentes que moram nessas localidades. E, mais próximo de nós, algumas escolas de Curitiba estão funcionando em alguns dias da semana, ofertando atividades extracurriculares e de reforço, pautadas pelo Ofício assinado pela secretária de saúde do Município de Curitiba, em 31/08/2020.

Ainda não se conhece completamente esta doença, mas muito já se evoluiu, e alguns dados permitem que médicos, infectologistas, virologistas e demais profissionais da área de saúde, se posicionem a favor do retorno gradativo e consciente das aulas. Não cabe aqui citar todos as recomendações existentes até o momento, até porque temos certeza de que o Colégio tem conhecimento de tudo. Entretanto, não custa salientar que a Sociedade Brasileira de Pediatria em "Reflexões da Sociedade Brasileira de Pediatria", já se manifestou sobre o retorno às aulas presenciais, desde que verificadas as condições epidemiológicas, com identificação de baixa transmissão do vírus, em documento datado de 25/09/2020 (https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/SBP-RECOMENDACOES-RETORNO-AULAS-final.pdf Neste mesmo documento, relata que grande parte das crianças, quando infectadas, não apresentam sintomas, fato que, provavelmente, reduz as chances de que transmitam de forma intensa o vírus. Além disso, a ONU já reafirmou a preocupação da OMS, externada meses atrás, sobre milhões de crianças fora da escola e o seu sofrimento.

A escola não é somente o espaço dedicado à aprendizagem, tampouco é apenas um lugar seguro onde podemos deixar nossos filhos enquanto trabalhamos. Na escola, nossos filhos socializam, e desenvolvem competências fundamentais para a vida em sociedade, como empatia, compaixão, disciplina, autoconfiança e independência. Como bem destacado pela Sociedade de Pediatria do Rio de Janeiro, "crianças não serão futuros seres humanos somente quando crescerem. Já o são, desde o nascimento e seu desenvolvimento emocional sofre consequências no curto e longo prazo. Imaginar que crianças não sofrem de ansiedade e depressão é desconhecer a natureza humana das crianças. Nesta pandemia, esse sofrimento tem sido intenso, com exposição a algo pouco habitual na vida de crianças: a morte. Esse assunto dominou as nossas vidas. Na escola as crianças encontram um ambiente propício para elaborar esses sentimentos". (http://soperj.com.br/soperj-e-a-volta-as-aulas

Sabemos que o Colégio segue as determinações da Secretaria de Educação do município, e que tem seu poder de tomada de decisões completamente pautado e limitado por tais determinações que lhe são impostas. E é com base nisso que, nós pais, vimos por meio desta carta, nos manifestar.

Manifestamos, aqui, nosso total apoio ao Colégio. Estamos lado a lado nessa caminhada, e suas preocupações são nossas também. Assim como vários órgãos mundiais e nacionais, nós pais, e temos certeza de que o Colégio comunga do mesmo sentimento, entendemos que precisamos trabalhar por este tão esperado retorno, para que aconteça o quanto antes, e de forma segura e tranquila para todos. Que o debate seja trazido, que possamos juntos construir um protocolo seguro e eficaz. Não deixamos de nos preocupar com a saúde dos nossos filhos, bem como de todos os funcionários que fazem parte do Colégio, e queremos que tudo seja feito da maneira mais segura. Mas, não podemos mais omitir nosso sentimento de preocupação com as grandes perdas que podem acontecer com as crianças, depois de tanto tempo fora da escola, bem como entendemos que somos parte importantíssima na construção desse diálogo entre Colégio, Governo e órgãos responsáveis e sociedade.

Sabemos, também, que se trata de um assunto muito polarizado, com muitas famílias reticentes e preocupadas com a volta às aulas. Entendemos e respeitamos o posicionamento de cada família diante desse processo. O que queremos é poder iniciar o debate, de forma civilizada e consciente.

Desta maneira, gostaríamos de solicitar uma reunião com o Colégio. Elegeremos um representante entre nós para tanto. Nossa intenção é estar mais próximos nesse momento, ouvindo de vocês o que se tem de concreto até então, quais são as impressões do Colégio, quais são os planos e, levar até o Colégio, a voz dos pais, nossas ideias e contribuições. A reunião nos ajudará a nortear nossas próximas medidas e ações.

Agradecemos desde já a sua atenção, certos de que poderemos criar uma relação ainda mais forte e de parceria, pelo bem de nossas crianças.

 

Atenciosamente,

 

Pais dos Alunos do Colégio Suíço-Brasileiro, que assinam esta carta em forma de petição online.

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 200!
Com 200 assinaturas, é mais provável que essa petição seja recomendada a outras pessoas!