Isenção fiscal de IPTU para classe média e operária habitante em Vila Velha

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 100!


Minha mãe cuida da minha vó com Alzheimer, ela tem um imóvel de até 160 mil reais, sendo sua única casa que supre o seu direito à habitação. Se a prefeitura de Vila Velha pudesse isentar junto com minha mãe, todas as famílias da classe média e operária que possuem uma única casa com o valor de até 160 mil reais, sobrará mais dinheiro no orçamento doméstico para investir em cultura, saúde, lazer, educação e no nosso café com pão de cada manhã. Os orçamentos familiares que mais sofreram com a crise econômica que acometeu o mundo, foram os da classe média e operária, apontam estudos científicos econômicos como o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada-IPEA. Tenho por certo que o valor será insignificante nas contas públicas, porém será primordial no sustento da mesa da família em Vila Velha. Vale frisar que esse valor será usado no pagamento das contas que apertam a vida da classe média e operária, mantida com o salário desajustado e corroído pela inflação. Com esse dinheiro extra as famílias consumirão bens e serviços, aquecendo a economia local e o município arrecadará novamente pelo ISSQN. Portanto senhores vereadores, regulamentem esse pedido, de um jovem e modesto rapaz canela verde, que pede em nome de toda municipalidade. Peço que aprovem uma emenda à lei orgânica da cidade, regulamentando a progressividade fiscal do IPTU, conforme entendimento do STF súmula 668, tendo como modelo base, considerando as devidas adaptações regionais, a lei nº 15.889, de 5 de novembro de 2013, do município de São Paulo, que instituiu tabela progressiva da alíquota de acordo com o valor do imóvel, para melhor atender o munícipe no tocante ao Direito à justiça fiscal e espacial na cidade. 

Atenciosamente