Aproveitamento de resíduos da extração mineral #ChegaDeLama

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 2.500!


Pela Segunda vez, o país assiste chocado a uma terrível tragédia ambiental e principalmente humana, causar danos irreparáveis às vidas de centenas de pessoas e também ao meio ambiente. O Rompimento da barragem da mina do córrego do Feijão, em Brumadinho (MG) é praticamente uma triste repetição do desastre de Mariana (MG) em 2015. Acontecimentos que tiveram sua origem no descaso de empresas mineradoras, e que parecem passiveis de repetição em um futuro próximo.

Porém, conforme veiculado na imprensa, “Uma pesquisa desenvolvida na Universidade Federal de Lavras (UFLA) prevê o aproveitamento do resíduo da extração de mineração para a criação de tijolos e outros materiais para a construção civil. Os resíduos, com terra, cimento e água são misturados dentro de uma prensa e formam blocos, telhas e pisos ecologicamente corretos. A alternativa aparece como uma possível solução para os rejeitos da mineração que se tornaram um problema após a tragédia do rompimento da Barragem de Fundão em Mariana (MG) em novembro de 2015.(...)  Segundo os pesquisadores, a eficiência deles já foi comprovada e não há nenhum risco em utilizar os blocos feitos a partir dos restos da mineração.”¹

Pela lei, a população pode enviar projetos de lei de iniciativa popular para a Câmara dos Deputados. A Constituição Federal exige a assinatura de um por cento dos eleitores, distribuídos por pelo menos cinco estados da Federação. Esse abaixo-assinado, busca pressionar a Câmara dos Deputados na criação de um projeto lei que torne obrigatório o aproveitamento de resíduos da mineração. E que esse produto decorrente seja empregado em obras de construção de Habitações de  Interesse Social (HIS) a baixo custo, ou até mesmo doado pelas mineradoras, como uma de forma de recuperação social pelos danos causados.

 Cabe a nós, sociedade civil, buscar modos para que no futuro, vidas sejam poupadas, assim como o ambiente; e essa lama que tirou a casa e a vida de tanta gente possa ser usada para construir novas casas e novas histórias.

Fonte da Imagem: https://brasil.elpais.com/brasil/2019/01/25/album/1548444443_434346.html?fbclid=IwAR3sW0Ni0sJ1bkqg_zKkCJu9J0DL-OcsUIEvQ0DhcvgfDiIQEInBoVvONaI#foto_gal_1