Artesp/Concessionária Tamoios conserte o km 53 e retire a barreira da estrada!

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 200!


A Rodovia dos Tamoios está em obras há mais de 5 anos.
Para quem mora no litoral e precisa usar a rodovia a obra é um transtorno há muito tempo. Para turistas, um fator desanimador para férias e feriados. Mas enfim, entendo que a obra, quando finalizada será um benefício para todos.

Desde Julho de 2016, a cobrança de pedágios foi iniciada em praças que foram eficiente e muito rapidamente implantadas. Nenhuma outra obra na rodovia foi tão rápida. Nem mesmo muitas das passarelas inacabadas que ligam o nada a lugar algum.

Agora, em pouco mais de 50 km da rodovia duplicada, o usuário paga R$ 10,20. Apenas R$ 0,20 a menos do que nos (aproximados) 87km que ligam São José dos Campos a São Paulo, pelo sistema Carvalho Pinto/Ayrton Senna. É necessário levar em consideração que estas duas rodovias são muito mais largas e muito mais seguras, com os canteiros de meio de pista, do que a Tamoios com os seus perigosos blocos de concreto.

Outra diferença é que as rodovias Carvalho Pinto e Ayrton Senna foram construidas com dinheiro de impostos e depois de privatizadas tiveram os pedágios implantados.

O que ocorre agora é que o usuário da Rodovia dos Tamoios figura como “sócio-proprietário” sem nome em contrato já que está ajudando a financiar a obra da rodovia pagando desde já o pedágio, já que para a implantação efetiva deste pedágio era necessário que pelo menos 6% da estrada estivesse “pronta”.

Quer dizer, além de pagar IPVA, que já é um imposto discutível e que também é usado para investir em obras públicas, como a conservação e construção de estradas, o usuário está pagando por um produto inacabado. E pagando muito caro! É só olhar a diferença entre preços de pedágio nas estradas da região e a quilometragem rodada:
Tamoios 53km = R$ 10,20
Carvalho Pinto/Ayrton Senna 87km = R$ 10,40.

Mas o que é motivo de grande indignação por parte do usuário é que a Rodovia dos Tamoios já possui trechos prontos interditados e sem manutenção. Este é o caso da barreira no km 53 sentido litoral que há meses está caída na estrada e o trânsito é desviado com uma barreira de blocos de concreto e alambrado e não há nenhum sinal de boa vontade por parte da Artesp em remover a barreira e consertar a estrada. Isto caracteriza uma completa falta de interesse, respeito e consideração com o usuário desta estrada cara, inacabada e perigosa. O trânsito em finais de semana e feriados é intenso e a estrada conta com muitos pontos de estrangulamento de trânsito. À noite, tudo fica ainda mais confuso com os inúmeros desvios sinalizados por cones laranjas. E ali neste ponto o trânsito muitas vezes pára por completo.

A questão é, quando a Artesp que é uma agência do Governo do Estado de SP vai se lembrar do km 53 e tomar alguma porvidência?

Por este valor tão alto por um trecho tão curto de rodovia (semi) decente, já está mais do que na hora deste trecho voltar ao normal.

Peço aqui a atenção e ajuda dos usuários para que a ouvidoria da Rodovia dos Tamoios se lembre e considere um pouco mais os usuários que estão financiando esta obra gigantesca e pelo menos disfarce um pouco que está mantendo a estrada.



Hoje: Agis está contando com você!

Agis Variani precisa do seu apoio na petição «Artesp/Concessionária Tamoios conserte o km 53 e retire a barreira da estrada!». Junte-se agora a Agis e mais 110 apoiadores.