2 respostas

Acesso aos portais educativos pelo celular sem descontar da franquia de internet móvel

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 50.000!


Como professor, posso dizer que a educação a distância está longe de ser o melhor modelo educativo. Porém, neste momento de isolamento social, é a única alternativa possível. Mas para que funcione adequadamente, todos os alunos devem ter acesso à internet garantido para estudar!

É preciso garantir aos alunos acesso gratuito a todos os portais de educação de todas as instituições de ensino — sejam estas Universidades Federais ou Estaduais, Institutos Federais, escolas etc. Sem esse acesso garantido, todo o trabalho dos profissionais de ensino não será suficiente. Não há educação sem poder disponibilizar o material didático ou acompanhar o aprendizado dos alunos. Estamos falando da qualidade da educação e do futuro dos nossos filhos, netos, de nossa sociedade, nosso país.

Neste momento de crise, pedimos que o Governo Federal e a Anatel, junto às operadoras de telefonia móvel, liberem o acesso aos portais educativos online (inclusive as plataformas de ensino de todas as instituições mencionadas), sem custo na franquia de dados móveis.

Como milhões de estudantes do país não têm em seus lares nem computador, nem internet banda larga, mas possuem aparelho celular, uma solução simples seria o uso destes dispositivos móveis como aliados da Educação.

A educação é um direito assegurado pela Constituição Federal Brasileira, e, no contexto atual, uma urgência! Garantir livre acesso às plataformas educativas é fazer valer nosso direito e assegurar que milhões de estudantes possam estudar com o mínimo de tranquilidade.

Como a pandemia impôs restrições econômicas para as famílias, a maioria dos alunos não tem créditos no celular para acompanhar as atividades. Habilitar o acesso sem custo irá permitir que todos, sem restrições, acompanhem as aulas.

Se você também se preocupa com o futuro da educação no Brasil nesta crise que enfrentamos, assine esta petição e compartilhe o seu apoio!

Gratos,

Prof. Juan G. Colonna, UFAM.

Profa. Jézika S. Cortez