Academia - Atividade Essencial

Academia - Atividade Essencial

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 2.500!
Com 2.500 assinaturas, é mais provável que esta petição apareça na mídia!
Uisner Lucas de Souza criou este abaixo-assinado para pressionar 6 e

As pesquisas científicas demonstram que as academias fazem parte de um serviço de saúde latente, que se utilizam de profissionais da saúde de nível superior devidamente habilitado em Educação Física, como Responsáveis Técnicos, devidamente registrados no Conselho Profissional.

Das evidencias trazidas por pesquisas científicas, pesquisadores americanos estão sugerindo que exercício físico pode impedir o desenvolvimento da SARA (Síndrome da Angústia Respiratória Aguda), caracterizada pela falta de ar, respiração rápida, tosse, fraqueza muscular e uma das piores complicações do novo Coronavírus (Sars-CoV-2).

Segundo o estudo da Universidade de Virginia, a prática de exercícios físicos eleva a produção da enzima superóxido dismutase (EcSOD), produzida pelos músculos e associada à proteção do sistema cardiorrespiratório. "Sua baixa concentração aumenta o risco para doenças como pneumonia ou enfermidades crônicas respiratórias", afirma o pneumologista Humberto Bogossian, do Hospital Israelita Albert Einstein. Além disso, também sobe a chance de ocorrência de isquemia cardíaca (derivada da obstrução do fluxo sanguíneo) e falhas nos rins.


Ainda, de acordo com os pesquisadores, a realização de exercícios em intensidade moderada é suficiente para obter os benefícios. "Exercício regular tem mais benefícios do que conhecemos. A proteção contra doenças respiratórias severas é um dos muitos exemplos", afirma o médico Zhen Yan, chefe da pesquisa.


Também, o Colégio Americano de Medicina do Esporte divulgou recentemente um guia em que sugere que a atividade física de intensidade moderada deva ser mantida no período de quarentena em função do SARS-CoV-2, salientando a importância para a saúde de cada minuto fisicamente ativo¹.

As recomendações da OMS para indivíduos saudáveis e assintomáticos são de, no mínimo, 150 minutos de atividade física por semana para adultos e 300 minutos de atividade física por semana para crianças e adolescentes², sob orientação de profissionais do exercício físico para a adequação da prática de atividade física por parte da população. É fundamental que indivíduos que realizem exercícios físicos regularmente mantenham a prática, porém adequando-se à condição atual de restrições de circulação. Manter-se fisicamente ativo deve ser enfatizado ainda mais para indivíduos idosos, os quais comprovadamente apresentam mais comorbidades e maior risco cardiovascular, além de serem mais vulneráveis ao COVID-19.

Portanto, diante do avanço exponencial desta pandemia no Brasil, a recomendação dos profissionais de saúde para que a população tenha uma vida fisicamente ativa deve ser encarada como uma importante abordagem para o combate ao COVID-19 e às eventuais consequências do confinamento social juntamente às demais medidas que estão sendo adotadas pelos setores de saúde pública mundial.


Esses são os fatos relevantes para o deslinde da matéria ventilada na presente disseminação que precisa ser (re)conhecida pelas Autoridades competentes a fim de caracterizar as academias como SERVIÇO ESSENCIAL A SAÚDE.

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 2.500!
Com 2.500 assinaturas, é mais provável que esta petição apareça na mídia!