CARTA ABERTA DOS LOJISTAS DE SHOPPING CENTERS, PALMAS - TO.

CARTA ABERTA DOS LOJISTAS DE SHOPPING CENTERS, PALMAS - TO.

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 500!
Com 500 assinaturas, é mais provável que essa petição seja recomendada a outras pessoas!
nilson luiz silveira grimm criou este abaixo-assinado para pressionar À Excelentíssima Sra. Prefeita Cinthia Ribeiro, suas Excelências Vereadores de Palmas. e

Nós, Lojistas de Shopping Centers, vimos expor ao Paço Municipal, à Câmara de Vereadores, ao COE e à toda a comunidade palmense a delicada situação que vivemos atualmente.


Desde o início da pandemia, a atividade dos Shopping, em Palmas, vem sendo limitada pela Autoridade Municipal, sob alegação de que ela representa risco de aglomeração e, portanto, de contaminação da população pelo Covid. Nesse contexto, vale salientar que os Shopping Centers de Palmas implementaram diversas medidas de segurança, tais como: controle de acesso com medição de temperatura; cobrança de uso obrigatório de máscara e higienização das mãos em todas as portarias; instalação de álcool em gel em todos acessos e áreas comuns dos shopping; instalação de pias para higienização das mãos em todos os acessos a área interna dos shopping; limitação de clientes por loja; entre outros, conforme Planos de Contingenciamento, formalizado pelos empreendimentos. Além disso, cada loja ficou responsável por medidas suplementares de segurança como: disponibilizar álcool em gel; exigir uso de máscara em seu interior; manter o distanciamento social e o treinamento dos funcionários para fiscalização do cumprimento dessas medidas.


Apesar disso, o Decreto nº 2.048, de 14 de maio de 2021, que definiu a reabertura gradual e sucessiva do comércio local de Palmas, manteve os Shopping Centers com horário de funcionamento limitado, de segunda à sexta-feira e apenas por delivery, nos sábados e domingos, ou seja, permanecendo fechado para o acesso ao público. Vale ressaltar que o Decreto permite a abertura de segmentos como feiras livres, academias, lava-jatos, lavanderias, parques, salões de beleza e barbearias, onde o risco de aglomeração entre pessoas é de maior proporção, dada as dificuldades de contenção e controle, em alguns desses locais citados.


Igualmente importante é considerar que, desde o inicio das restrições, os shoppings tiveram suas atividades drasticamente reduzidas - sendo os primeiros a fechar e os últimos a terem suas aberturas integralmente liberadas - e que tal decisão compromete a sobrevivência de muitos dos empreendimentos, especialmente os de
pequeno e médio porte. Estes tiveram sua capacidade financeira comprometida e não suportarão, por mais tempo, o fechamento aos finais de semana e a redução drásticas nas vendas. Agrava nossa situação também o fato de que que a crise econômica, associada ao combate ao Covid, também mudou hábitos de consumo e afetou o poder aquisitivo da população, reduzindo a propensão às compras no comércio, de maneira geral. Tendo em vista que seus efeitos se estendem aos funcionários e suas famílias. Estimamos que a manutenção dessa restrição afete, direta e indiretamente, cerca de 8 mil pessoas e que o risco econômico sobre os envolvidos é elevado, podendo ser mitigado com a liberação solicitada.


Assim sendo, como Lojistas dos Shopping Centers, achamos por bem expor de forma ampla, por meio dessa Carta Aberta, a situação temerária em que nos
encontramos, enquanto empresários. E, no ensejo, solicitar consideração e apoio da Prefeita, da Câmara de Vereadores, do COE e da Comunidade palmense no sentido de autorizar a Abertura dos Shopping Centers ao Público nos Finais de Semana, como forma de garantir a sobrevivência das lojas, de empregos e do empreendimento varejista, compromissando-nos a continuar com a observância de restrição de 50% de ocupação, além de todos os protocolos já expostos.


Imperioso assinalar que nós, lojistas, não queremos desobedecer
normas ou obstaculizar a contenção desse vírus mortal. Ao contrário, somos solidários ao uso de todas as medidas de precaução que hoje estão em aplicação pelos demais estabelecimentos comerciais da cidade. Sempre cumprimos na integra todos os Decretos expedidos pelo Poder Público Municipal e nunca discutimos quando tal ação se fez necessária para evitar a proliferação do Corona Vírus.


Diante de todo exposto, queremos tornar pública a situação vivenciada pelos Lojistas do Shopping Centers, para que a Comunidade, em todas as suas instâncias, possa conhecer e refletir sobre ela. Nosso pleito é trabalhar e continuar gerando empregos, renda e arrecadação. Diante disso é que solicitamos autorização do Executivo Municipal para a abertura das lojas ao público, também nos finais de semana.

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 500!
Com 500 assinaturas, é mais provável que essa petição seja recomendada a outras pessoas!