vitórias

Você viu algum panda durante a Olimpíada? Não! Foi graças a esta mulher

Pedro Prata
Aug 22, 2016

Conheça a história de Roberta Carvalho, a jornalista que não desistiu até a Prefeitura do Rio de Janeiro abrir mão de receber uma doação insólita do governo chinês

Teve sol na Olimpíada? Sim! Teve biscoito Globo na praia? Sim! Teve atleta paquerando no aplicativo? Sim! Teve panda exposto para turista no zoológico? NÃO! Sabe por quê? Porque a jornalista Roberta Carvalho levantou quase 30 mil assinaturas na Change.org. Toda essa gente pressionou a Prefeitura do Rio de Janeiro a não aceitar os animais, que seriam doados pelo governo chinês. “Urso não é objeto para ser presenteado nem exposto como atração turística”, defende ela. A cidade olímpica se recheou de atividades, mas explorar pandas não foi uma delas.

Quando leu no jornal O Globo a notícia de que o zoológico do Rio de Janeiro receberia um casal de pandas do governo chinês, Roberta ficou chateada. “Para que isso? Para que tirar o animal do seu país e trazê-lo para o outro lado do planeta?”, se perguntou. Mas logo percebeu, lendo a matéria até o final, que a doação ainda não havia se realizado. Bateu aquela pontinha de esperança: se fizesse algo, pode ser que muito mais gente viesse junto. Ela então fez um abaixo-assinado!

img.png

Acima, a Nota do jornal O Globo que fez Roberta criar a mobilização, abaixo.

 

A jornalista se define como uma defensora dos animais, e conta que costuma participar de manifestações, resgates e visitas a abrigos. Roberta também faz campanhas na internet para arrecadar recursos financeiros para a causa e, claro, assina todas as petições na Change.org que considera relevantes. “Cada atitude, mesmo que pequena, faz diferença. Quem critica os defensores de animais quase sempre não faz nada para ajudar ninguém”, dispara.

O abaixo-assinado logo ganhou repercussão. As pessoas começaram a assinar e as mensagens de apoio a chegar. O comentário de Regina Menezes, também do Rio de Janeiro, ganhou 16 curtidas: “Sou contra confinamento de animais. Além do nosso clima ser inadequado para ursos e outros animais estranhos à nossa fauna. Eles não merecem esse sofrimento”. A mobilização fez o jornal O Globo voltar ao assunto, justamente na coluna do jornalista Ancelmo Gois, a mais lida pelos cariocas. Por também ser jornalista, Roberta sabe muito bem o quanto esta pressão da imprensa reverbera no poder público.

A ideia pegou tão mal que não deu outra: o zoológico do Rio de Janeiro desistiu de receber o presente e não tocou mais no assunto. Ficou por isso mesmo. Ou melhor: o casal de pandas ficou na China mesmo. E, uma vez mais, a mobilização da Roberta saiu no jornal – agora com o final feliz. “Quando soube da decisão, o meu sentimento foi de alívio e felicidade, pelos ursos não virem e por ter podido ajudar”, lembra ela.

Os acontecimentos seguintes mostraram que a Roberta estava repleta de razão. Por decisão do Ibama e do Ministério Público Federal, o zoológico do Rio de Janeiro chegou a ser fechado por não garantir o bem-estar mínimo dos animais e atendimento adequado aos visitantes. “Além de ser contra zoos de qualquer maneira, lembrei que havia lido uma matéria sobre o mau estado do local – o que se confirmou. Sabia que esses pandas sofreriam muito. Sabia que tinha que fazer alguma coisa e pensei no abaixo-assinado”, conta a jornalista. E olha que bacana: a mobilização de Roberta também virou referência para a imprensa no debate sobre os limites éticos destes parques. A revista Superinteressante fez um texto sobre o assunto com o título “Afinal, zoológicos são bons ou ruins?”. Vale conferir.

Quando perguntamos o que faria nesta Olimpíada caso o casal de pandas estivesse sendo usado como atração para os turistas, Roberta não pensa duas vezes: “Meu coração se aperta só de pensar nessa possibilidade. Dá tristeza e raiva. Acho que estaria lá na porta do zoo protestando.” Possivelmente. Ela e mais muita gente que assinou a petição.

 


Mais de 8 milhões de brasileiros e brasileiras já conseguiram quase 350 vitórias como esta via Change.org. Sabia que o site é mantido por quem usa?

Clique aqui e faça sua contribuição.